Equipes de reportagem são ameaçadas ao vivo ao cobrir tiroteio

Repórter ameaçado ao vivo
Homens se aproximaram do jornalista em uma moto e mandaram que a equipe ‘apagasse tudo’ (Reprodução/TV Gazeta)

Equipes de reportagem de duas emissoras de TV foram ameaçadas na manhã desta terça-feira (2), ao tentarem cobrir um tiroteio provocado por criminosos na cidade de Serra, no Espírito Santo. Dois homens, um deles armado, se aproximaram de um repórter da TV Gazeta, afiliada da Globo no estado, e exigiram que a equipe parasse a gravação.

Em um vídeo registrado no momento em que o jornalista Diony Silva fazia a transmissão ao vivo para o jornal matinal “Bom Dia ES”, os dois homens aparecem em uma motocicleta e ameaçam o repórter. “Apaga tudo”, “mete o pé”, disseram os criminosos. Em seguida, um barulho de tiro pode ser ouvido e o repórter e o cinegrafista resolvem ir embora, interrompendo a transmissão.

“Até esse ponto em que a gente estava, nós não acreditávamos que fosse inseguro porque o problema havia acontecido na parte mais alta do bairro e os ônibus estavam fazendo retorno ali. A gente acreditou que ali estivesse mais tranquilo, mais seguro”, contou o repórter ao voltar ao jornal. De acordo com ele, a equipe de reportagem da TV Tribuna também sofreu ameaças no local. 

Os profissionais haviam se deslocado até o local para reportar sobre um intenso tiroteio que foi registrado na região, por volta das 5h de hoje. De acordo com o G1, por causa da troca de tiros, ônibus foram impedidos de circular no bairro Planalto Serrano e a Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória (Ceturb) alterou a rota de algumas linhas dos coletivos.

Repúdio

Procurado pelo “Bom Dia ES”, o secretário estadual de Segurança Pública do Espírito Santo, Alexandre Ramalho, afirmou que deslocaria forças policiais até o local, e garantiu que as equipes de inteligência trabalhariam para identificar os autores das ameaças.

“Nós monitoramos com viaturas, via operações realizadas em Planalto Serrano. Mas nunca negamos, que, lamentavelmente, temos uma criminalidade ligada a uma baixa faixa etária, com nenhuma educação, nenhum encaminhamento à rede de ensino, à religiosa e que lamentavelmente se empoderam com uma legislação que não os alcança”, disse o secretário à TV Gazeta.

Políticos, entidades e autoridades locais se manifestaram durante esta terça-feira, repudiando as ameaças sofridas pelas equipes de reportagem. “Lamentamos profundamente episódio ocorrido com moradores e equipes de TVs ameaçadas por criminosos hj na Serra. Não há espaço para esses atos no ES. Mobilizamos nossas forças segurança para identificação/punição dos responsáveis. Trabalhamos incansavelmente p/redução da violência”, escreveu o governador do estado, Renato Casagrande (PSB), nas redes sociais.

O prefeito da cidade onde o incidente aconteceu também se manifestou. “Nosso respeito e solidariedade aos profissionais da TV que estavam hoje cedo em Planalto Serrano e a todos os moradores do bairro que não merecem passar por esse tipo de situação”, afirmou Sergio Vidigal (PDT), prefeito da Serra.

A Rede Gazeta também divulgou comunicado lamentando o episódio. “Também se solidariza com todos os cidadãos que, dia após dia, se veem reféns da criminalidade e da ousadia de bandidos. A Rede Gazeta destaca, ainda, que segue um código de conduta para preservação de seus funcionários. O nosso jornalismo não se intimidará com este episódio e continuará atuando, com precisão e equilíbrio, a favor da sociedade”, diz a nota.

Edição: Giovanna Fávero
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários