‘Onda roxa’: Entenda o que pode funcionar na nova restrição em MG

Comércio fechado
Além do toque de recolher, atividades não-essenciais não poderão abrir por 15 dias (Amanda Dias/BHAZ)

O governador Romeu Zema (Novo) anunciou, nesta quarta-feira (3), a criação da onda roxa, na qual municípios das regiões de Minas Gerais que estão em situação crítica serão obrigados a enfrentar restrições de circulação e toque de recolher. A medida determina a suspensão do funcionamento de atividades não-essenciais, a partir de amanhã (4), em duas regionais do estado: Noroeste e Triângulo Norte. Entenda abaixo o que poderá funcionar nos municípios.

Todas as cidades das regionais serão obrigadas a adotar as medidas, independentemente se, porventura, uma ou outra apresentar números mais amenos. “Nos casos de Uberlândia e Patos de Minas, cidades-pólo das regiões, os prefeitos tomaram medidas restritivas, mas não é o suficiente se as cidades do entorno continuam produzindo e enviando pacientes para lá”, afirmou Zema.

Onda roxa
Nova onda abrange duas regionais do estado (Governo de Minas/Divulgação)

Inicialmente, a onda roxa terá a duração de 15 dias. “Espero que seja suficiente, mas estaremos revendo o que for necessário. Se daqui a dois, três dias for necessário que outra região migre para a onda, vamos ter que fazer. É necessidade, não é opção, não há outro caminho a não ser este”, completou o governador.

Restrições

Entre as restrições, está a proibição de circulação de pessoas que não se deslocam para atividades essenciais; o toque de recolher das 20h às 5h; a proibição de reuniões presenciais, inclusive de pessoas da mesma família que não moram juntas; entre outras. Confira o que será vetado nas duas regionais a partir de amanhã:

  • Circulação pessoas e veículos pra atividades não-essenciais;
  • Circulação de pessoas sem máscara em qualquer espaço público ou coletivo, ainda que privado;
  • Circulação de pessoas com sintomas de gripe, exceto para realização ou acompanhamento de consultas e exames médicos e hospitalares;
  • Realização de reuniões/eventos presenciais, inclusive entre pessoas da mesma família que não moram juntas;
  • Qualquer tipo de evento público ou privado que possa provocar aglomeração;
  • Funcionamento de bares e restaurantes (permitido somente para delivery).

Além das restrições, a aplicação das medidas determinadas pelo Governo de Minas contará com a implantação de barreiras sanitárias de vigilância e o apoio da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, em conjunto com os municípios envolvidos.

Quais são as atividades essenciais?

De acordo com o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, são consideradas atividades essenciais:

  • Setor de alimentos, exceto bares e restaurantes;
  • Setor de agropecuária e agroindústria;
  • Serviços de saúde, atendimento hospitalar, veterinário;
  • Bancos e seguros;
  • Transporte público pra deslocamento para atividades essenciais;
  • Serviços de energia, gás, petróleo, combustível e derivados;
  • Manutenção de equipamentos e veículos;
  • Construção civil;
  • Indústrias, apenas da cadeia relacionada às atividades essenciais;
  • Lavanderias
  • Serviços de TI “Tecnologia da informação” e dados;
  • Imprensa e comunicação;
  • Serviços de interesse público: água, esgoto, funerárias e Correios.

Cidades afetadas

A onda roxa começa a valer, a partir de amanhã, para todos os municípios no Noroeste e Triângulo Norte. Outras três regionais correm o risco de entrar na onda roxa, conforme o governador Romeu Zema, e terão os indicadores monitorados: Leste do Sul, Norte e Triângulo Sul.

Confira quais cidades fazem parte das duas regionais que enfrentarão as medidas mais restritivas:

Triângulo Norte

  • Cachoeira Dourada
  • Abadia dos Dourados
  • Araguari
  • Araporã
  • Campina Verde
  • Canápolis
  • Capinópolis
  • Cascalho Rico
  • Centralina
  • Coromandel
  • Douradoquara
  • Estrela do Sul
  • Grupiara
  • Gurinhatã
  • Indianópolis
  • Ipiaçu
  • Iraí de Minas
  • Ituiutaba
  • Monte Alegre de Minas
  • Monte Carmelo
  • Nova Ponte
  • Patrocínio
  • Prata
  • Romaria
  • Santa Vitória
  • Tupaciguara
  • Uberlândia

Noroeste

  • Brasilândia de Minas
  • Arapuá
  • Arinos
  • Bonfinópolis de Minas
  • Buritis
  • Cabeceira Grande
  • Carmo do Paranaíba
  • Chapada Gaúcha
  • Cruzeiro da Fortaleza
  • Dom Bosco
  • Formoso
  • Guarda-Mor
  • Guimarânia
  • João Pinheiro
  • Lagamar
  • Lagoa Formosa
  • Lagoa Grande
  • Matutina
  • Natalândia
  • Paracatu
  • Patos de Minas
  • Presidente Olegário
  • Riachinho
  • Rio Paranaíba
  • Santa Rosa da Serra
  • São Gonçalo do Abaeté
  • São Gotardo
  • Serra do Salitre
  • Tiros
  • Unaí
  • Uruana de Minas
  • Varjão de Minas
  • Vazante

Com Agência Minas

Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários