Projeto de BH arrecada alimentos e itens de higiene para doação

Mulheres organizam cesta básica
Biomédicas usam do seu tempo livre para organizar e distribuir cestas básicas (Luana de Souza/Arquivo pessoal)

Uma iniciativa desenvolvida na capital mineira busca identificar, arrecadar e distribuir cestas básicas e kits de higiene para pessoas em situação de vulnerabilidade em todas as regionais de Belo Horizonte. Reconhecendo o período difícil que a população está enfrentando, duas biomédicas se solidarizaram com a situação e resolveram criar um projeto para conectar quem precisa com quem pode e quer ajudar.

Uma das biomédicas explicou como surgiu a ideia. “Tem muita gente precisando, está de cortar o coração. Foi devido à pandemia, número de pessoas desempregadas, a gente tinha feito uma ação parecida no hospital em que eu trabalho, depois fizemos para mais pessoas e resolvemos expandir”, conta ao BHAZ Luana de Souza, colega de Izabela Borges, que também participa do projeto.

A campanha começou há apenas uma semana, mas já arrecadou o suficiente para distribuir alimentos na ocupação Rosa Leão, na região da Isidoro, no Norte da capital. “Esse sábado já fizemos uma doação na Rosa Leão. Não conseguimos entregar diretamente aos ocupantes, devido a pandemia, então o coordenador da ONG Pé de Rosa, da ocupação, pegou as cestas com a gente e deixou em um galpão. Eles identificam as famílias que estão mais precisando e iam começar a distribuição hoje, por senha”, relata.

Precisa de ajuda?

Luana explica que elas recebem os pedidos de ajuda na página que criaram em rede social. Para quem deseja receber uma cesta básica e um kit básico de higiene, o primeiro passo deve ser acessar o perfil do Instagram. A pessoa pode enviar uma mensagem na própria rede ou entrar em contato por meio dos telefones disponibilizados no perfil (veja todas as informações no final da matéria).

Ela informa sobre o processo. “A gente pergunta a quantidade de pessoas que tem em casa, quem trabalha, e realizamos a doação. A partir desse contato que a gente define o tamanho de cesta. Geralmente, entregamos uma cesta básica por família, dependendo da quantidade de pessoas na casa, a gente entrega uma cesta maior”, explica.

Em seguida, a dupla de amigas vai pessoalmente na casa do solicitante e entrega a cesta e o kit. “Nós duas trabalhamos de segunda a sexta, então as doações geralmente vão ser feitas no final de semana. Desta última vez, por exemplo, eu fiz entrega no sábado e domingo eu montei mais cestas para entregar”, relata.

Quem mora em Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, também pode entrar em contrato com o projeto esta semana. “Hoje eu recebi o contato de uma pessoa em Ibirité que está com um projeto social também, mas está sem cesta montada para distribuir. Então mais ou menos dez famílias da região vão ser direcionadas pra mim. Provavelmente, no próximo sábado, nós vamos entregar em Ibirité”, conta.

Quer ajudar?

Quem desejar doar, precisa fazer o mesmo movimento na rede social O projeto aceita doação em material ou em dinheiro. “Quando é em dinheiro, a gente realiza a compra e manda a nota fiscal para o doador”, esclarece. “Eu monto as cestas à noite, quando chego do trabalho, e no final de semana”.

O doador nem precisa se deslocar de casa. “Algumas pessoas que estão doando pedem para gente pegar na casa delas, aí eu defino os dias da semana em que eu posso buscar”. Uma outra possibilidade é entregar na residência de uma das organizadoras, que vivem nas regiões da Pampulha e Barreiro.

Ela esclarece quais são os materiais necessários em um kit básico de higiene. “A gente coloca escova de dente, sabonete, papel higiênico, creme dental, e como conseguimos arrecadar detergente, sabão em barra, nós colocamos também”, clareia.

Na hora de doar, é muito importante verificar a data de validade dos produtos. “O que mais dá trabalho é olhar a validade, muita gente está dando coisa vencida e eu tenho que retirar depois”, alerta.

Veja as informações:

  • Instagram: @fazendoobemdoar
  • Luana de Souza: (31) 98204-6804
  • Izabela Borges: (31) 99367-8600

Edição: Giovanna Fávero

Comentários