Covid: UTIs de hospitais públicos de BH seguem com 100% de ocupação

Leito-de-UTI
Taxa de ocupação dos leitos de UTI diminuiu, mas a rede pública continua 100% preenchida (Rovena Rosa/Agência Brasil)

A taxa de ocupações de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para Covid-19 nas redes pública e privada de BH diminuiu para 98,8%, de acordo com o Boletim Epidemiológico emitido pela prefeitura nesta segunda-feira (5). Para os hospitais particulares, a porcentagem de preenchimento dos leitos é de 96,7%. Já a taxa que considera somente os hospitais da Rede SUS (Sistema Único de Saúde) da capital segue no limite, sendo de 100,9% de ocupação.

Embora as taxas de ocupação de ambas as redes estejam quase completas, a rede privada ainda consegue oferecer vagas nos leitos de tratamento à Covid-19. Do total dos 578 leitos dos hospitais particulares, 559 estão ocupados, sobrando apenas 19 para futuros pacientes. Nos hospitais públicos de Belo Horizonte, as 549 vagas na UTI encontram-se preenchidas.

Até esse domingo (4), 226 pessoas esperavam vagas nos hospitais para tratar da Covid-19, sendo 151 pacientes na fila para internação em alguma UTI, e 75 aguardando vagas na enfermaria. Os dados foram divulgados no recurso da Procuradoria-Geral do Município contra a liminar do ministro Kassio Nunes Marques, que permite a realização de cultos e missas presenciais.

Ocupação dos leitos de enfermarias

Quanto à taxa de ocupação dos leitos das enfermarias de Covid-19 dos hospitais de capital, a rede SUS e a privada apresentam uma porcentagem de 82,5%, quando somadas. Separadamente, os hospitais públicos estão com 82% dos leitos ocupados, e os particulares encontram-se com 83% das enfermarias Covid-19 preenchidas.

Ainda de acordo com o Boletim Epidemiológico emitido pela PBH, a capital totalizou 3.314 óbitos pela Covid-19, tendo 148.006 casos confirmados da doença. Até o momento, 317.235 pessoas receberam a primeira dose da vacina contra a doença causada pelo coronavírus, e 104.044 estão imunizados com a segunda dose. As unidades de saúde receberam ao todo 521.925 doses até então. Seguindo o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação, por enquanto foram vacinados os profissionais de saúde, moradores de residências inclusivas, como asilos, e idosos de 67 anos ou mais.

Edição: Roberth Costa
Andreza Miranda
Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários