Prefeito flexibiliza atividades em Divinópolis: ‘Não fui eleito para ser babá’

Prefeito de Divinópolis Gleidson Azevedo
Medidas foram anunciadas pelo prefeito Gleidson Azevedo (Reprodução/Prefeitura de Divinópolis)

Minas Gerais segue com várias restrições com o objetivo de frear o avanço da pandemia do novo coronavírus. Em Divinópolis, no entanto, um decreto do prefeito Gleidson Azevedo (PSC) permitiu a retomada de vários setores desde ontem (5). Para o gestor da cidade, a onda roxa, que permite apenas o funcionamento do comércio essencial, “não valeu de nada”. Ao anunciar a flexibilização, ele ainda disse que não foi eleito “para ser babá”. O município contabiliza 9.241 casos confirmados de Covid-19 e 233 mortes.

Escolas, academias, salão de beleza, clínica de estética, instituições religiosas são alguns dos setores que receberam o aval do Executivo municipal para retomar a atividade na região Centro-Oeste de Minas. O prefeito acredita que a medida restritiva imposta pelo governador Romeu Zema (Novo) não teve o efeito esperado e explicou o motivo. “As pessoas continuaram nas ruas, até pela própria população que não tem essa consciência que estamos vivendo um estado de pandemia”, disse, em coletiva.

A semana passada foi marcada por um “superferiado” na cidade, até mesmo com a antecipação de folgas do ano que vem. O objetivo era conter a circulação de pessoas nas ruas, só que o que se viu foi o contrário. “Para a economia continuar funcionando e a gente não perder vidas, o foco é a população ter consciência”, disse. O prefeito acredita que as medidas restritivas trouxeram impacto negativo, principalmente, ao setor de comércio que, segundo o próprio, pagou uma culpa que “não é dele”.

Azevedo reforçou o pedido para as pessoas se conscientizarem sobre o perigo da pandemia e mandou um recado. “Quem puder fique em casa. Não fui eleito prefeito de Divinópolis para ser babá, para ficar vigiando divinopolitano, fazendo decreto para restringir. Fui eleito para governar a cidade”. O funcionamento dos setores do comércio pode ser visto clicando aqui.

Covid-19

A ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para Covid-19 em Divinópolis está em 92,1% e a enfermaria, em 81,3% – o que demonstra o sistema de saúde sobrecarregado. Os dados são do boletim dessa segunda-feira (5). A cidade chegou a 9.241 diagnósticos positivos e 233 óbitos. A taxa de isolamento social está em 46,7%, a de letalidade em 2,52% e o ritmo de contágio em 1,03%.

Até o último sábado (3), foram aplicadas 27.654 doses da vacina contra Covid-19, sendo 20.307 de 1ª dose e 7.347 da 2ª e última dose. Veja a relação das pessoas imunizadas na cidade que fica a 156 km de distância de Belo Horizonte:

  • Profissionais da Linha de Frente: 8.978
  • Trabalhadores de Serviços da Saúde: 2.789
  • Deficientes Institucionalizados: 14
  • Idosos Institucionalizados: 550
  • Idosos a partir de 90 anos: 1.430
  • Idosos de 85 a 89 anos: 1.860
  • Idosos de 80 a 84 anos: 4.322
  • Idosos de 75 a 79 anos: 4.683
  • Idosos de 70 a 74 anos: 3.028
Boletim Covid Divinópolis
Boletim com os dados da pandemia em Divinópolis (Reprodução/@prefeituradedivinopolis/Facebook)

Reforce a proteção contra o vírus

A SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais) orienta que a população tome algumas medidas de higiene respiratória para evitar a propagação da doença, são elas:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Edição: Thiago Ricci
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas pelo prêmio CDL.

Comentários