Homem morre de Covid e família rouba corpo de hospital para dar a ele ‘enterro cristão’

Família rouba corpo morte Covid
A família tentava dar um enterro digo ao homem (Reprodução/ClickTvSm/YouTube)

Em um ato de desespero, uma família decidiu roubar o corpo de um dos membros da casa após diagnóstico de morte por Covid. O homem, 59, teria falecido por complicações da doença no Hospital San Rafael, na Colombia. Porém, a família rejeitou a causa da morte apresentada pelos médicos e decidiram raptar o corpo e levá-lo em uma maca.

Segundo o jornal RCN News, a vítima é Ramón Eliecer Quintero, que já tinha histórico de problemas respiratórios há alguns anos. Após ser atendido em um centro de saúde da cidade, Ramón precisou ser encaminhado ao hospital em que permaneceu internado até o dia do falecimento.

De acordo com o depoimento dos parentes da vítima, a família recebeu a notícia da morte na manhã desta quinta-feira (8). Mas, ao receber o corpo, perceberam que já havia um certo grau de decomposição, que sugere que a morte teria ocorrido dias antes.

Família queria enterro melhor

No hospital, os médicos informaram que o homem morreu vítima de Covid-19. Em seguida, a família levou o corpo sem autorização para que recebesse um “enterro cristão”. “Chega de injustiça. Você acha que um parente de alguém embrulhado em um saco e não tem permissão para lhe dar um enterro cristão?”, disse a filha da vítima, Rosa Quintero, ao RCN News.

No vídeo, é possível ver os guardas locais tentando convencer a família a retornar com o corpo ao hospital. Indignados, os familiares continuam levando a maca pelas ruas na tentativa de conseguir dar o último adeus ao homem.

Ainda segundo o jornal, a família pretendia dar um enterro digno ao homem, por isso se juntaram para raptar o corpo. “Não estávamos exigindo nada do hospital, nem o culpávamos pela morte. Só queríamos levá-lo para casa, para enterrá-lo”, esclareceu Rosa.

Edição: Roberth Costa
Jordânia Andrade
Jordânia Andradejordania.andrade@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde outubro de 2020. Jornalista formada no UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) com passagens pelos veículos Sou BH, Alvorada FM e rádio Itatiaia. Atua em projetos com foco em política, diversidade e jornalismo comunitário.

Comentários