‘Quem ama, aceita e tolera’, disse Monique à avó de Henry

mãe de henry monique medeiros sendo presa
Mãe de Henry sabia das agressões sofridas pelo menino (Reprodução/TV Globo)

Por Júlia Portela

Quase duas semanas após a babá relatar as agressões que o menino Henry Borel Medeiros, 4 anos, sofria dentro de casa, a mãe do menino, Monique Medeiros, enviou para a avó materna da criança, Rosângela Medeiros, uma foto do garoto dormindo no chão do quarto que Monique dividia com o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho.

Na conversa, obtida pelo jornal O Globo, Rosângela respondeu: “Toda criança é desse jeito. Seu irmão foi assim. O problema é que pai tolera e aceita. E tio?”. Em seguida, a mãe do menino disse: “Quem ama, aceita e tolera também…”. A troca de mensagens ocorreu 11 dias após o relato da babá do menino, Thayna de Oliveira Ferreira, à Monique sobre as agressões que Henry sofria. Na data, Thayná contou, em tempo real, o que ocorria na casa para a mãe da vítima. Apesar de estar a cinco minutos de distância, Monique só retornou ao apartamento 3 horas depois.

mensagem whatsapp entre mãe e avó de henry
Troca de mensagens entre mãe e avó de Henry (Reprodução)

No depoimento prestado na 16ª DP (Barra da Tijuca), a babá relatou que estava na brinquedoteca do prédio com Henry quando Monique pediu para que descessem a fim de “darem uma volta” de carro. Segundo ela, a mãe de Henry disse: “Nossa, eu vim rápido, ainda borrei minha unha. Me conta, Thayna, o que aconteceu?”. A babá, então, contou novamente a conversa que teve com Henry, em que o menino relatou as agressões que sofreu de Jairinho. A criança ainda confirmou com a cabeça que havia sido agredida.

Leia a reportagem completa no Metrópoles, parceiro do BHAZ.

Comentários