Morre de Covid-19 enfermeiro que atacava vacina e defendia tratamento precoce

enfermeiro morre covid
A morte foi confirmada pela Secretaria Municipal de Comunicação de Duque de Caxias, cidade fluminense (Anthony Ferrari/Divulgação)

O enfermeiro Anthony Ferrari morreu neste domingo (18) em razão de complicações da Covid-19. O profissional de saúde ficou conhecido nas redes sociais por divulgar informações falsas sobre vacinas e supostos tratamentos para a doença.

A morte foi confirmada pela Secretaria Municipal de Comunicação de Duque de Caxias, cidade fluminense. De acordo com a prefeitura, ele morreu no Hospital São José, montado para atender pacientes com Covid-19.

A infecção pelo coronavírus foi confirmada em publicação em sua página no Facebook assinada por sua mulher. “Ele está SIM com Covid e segue internado, porém NÃO ESTÁ entubado [sic]. Como esposa dele peço que respeitem esse momento onde os familiares estão muito preocupados e essas notícias falsas causam muita dor”, escreveu a mulher do enfermeiro, Natalia Ferrari.

No fim do ano passado, Ferrari divulgou vídeo fazendo a falsa afirmação que o médico voluntário no ensaio clínico da vacina de Oxford teria sido “vítima da vacina”. Ele também dizia, erroneamente, que o imunizante poderia causar Alzheimer, doença degenerativa que afeta a memória, e fibromialgia, que causa dor e fadiga.

Ele também defendeu o uso de ivermectina no combate à Covid-19. Ele disse que a droga salva vidas, que há estudos que provam sua eficácia e que a Etiópia e a Austrália têm poucos casos do coronavírus porque fazem o uso profilático do remédio.

Todas as informações são falsas.

A família não se pronunciou sobre a morte do enfermeiro até a publicação desta reportagem.

Folhapress
Folhapress

A Folhapress é a agência de notícias do Grupo Folha, uma das mais tradicionais do país. Comercializa e distribui diariamente fotos, textos, colunas, ilustrações e infográficos.

Comentários