Delegado exonerado após apresentar notícia-crime contra Salles é ameaçado por deputados

delegado-alexandre-saraiva-audiência
Delegado Alexandre Saraiva participou de audiência pública com a Câmara dos Deputados (Reprodução/@Metropoles/Twitter)

O delegado da Polícia Federal Alexandre Saraiva participou, nessa segunda-feira (26), de uma audiência pública formada pelas Comissões de Legislação Participativa e de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. Na ocasião, o servidor público e os deputados acabaram discutindo, e o delegado chegou a ser ameaçado por políticos do partido PSL (Partido Social Liberal). Alexandre Saraiva denunciou, no ano passado, o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles por supostamente ter apoiado o loteamento de terras de área de proteção permanente no Pará. Após apresentar a notícia-crime, o delegado foi exonerado do cargo.

Durante a audiência, a deputada federal Alê Silva (PSL) alega que a exoneração do delegado Alexandre Saraiva aconteceu por incompetência dele, “por um inquérito que ele mesmo não conseguiu concluir a contento, não reuniu as provas necessárias”. No entanto, o servidor público chegou a preparar uma apresentação de slides com as provas do caso envolvendo Ricardo Salles, e a apresentou para os deputados presentes. Além disso, ele rebateu a fala de Alê Silva, dizendo que ela seria a incompetente por ter feito 52 propostas legislativas na Câmara dos Deputados e “só duas relatadas”.

O deputado federal Ubiratan Sanderson (PSL) disse que o delegado teria extrapolado sua função ao levar a denúncia para a imprensa e o ameaça, afirmando que Alexandre Saraiva está numa posição complicada e em “maus lençóis”. Ele acrescentou: “Em 25 anos de Polícia Federal, eu só vi um delegado sair do seu quadrado. Eu vi um delegado apenas sair da sua competência, e o destino dele os senhores sabem qual foi”. Sanderson ainda acrescenta dizendo que Alexandre foi arrogante e prepotente.

‘Que tipo de policial tem medo de perder o emprego?’

Em resposta, Alexandre afirma que é uma pessoa destemida em relação a perder seu emprego. “Eu entrei para a polícia com risco de perder minha própria vida, quem dirá perder meu emprego. Que tipo de policial é o senhor que tem medo de perder o emprego?”, questionou o delegado. “Quanto a eu ser arrogante, o meu pai me ensinou uma coisa que eu ensino para o meu filho: ‘não seja arrogante com o humilde, e nem humilde com os arrogantes’, rebateu.

Nisso, Ubiratan Sanderson interferiu a fala do delegado, para reclamar de estar sendo xingado. “Ninguém aqui proferiu impropérios e xingamentos, nós estamos sendo xingados aqui por um servidor público”, alega o deputado. Alexandre Saraiva mais uma vez se defendeu dizendo que ele é quem estava sendo ofendido ao ser chamado de “incompetente e arrogante”. “O senhor perguntou o que quis, e eu lhe respondi o que quis”, disparou o delegado. Uma discussão acaba se iniciando, e Sanderson finalizou afirmando que não aceita ser desrespeitado por um servidor público. Já Saraiva não se cala, respondendo que passou no concurso público, e que por isso também não aceitava.

O deputado federal Nelson Barbudo (PSL) acabou sendo outro parlamentar a usar tom de ameaça contra Alexandre Saraiva. Em sua fala, Nelson diz faz uma metáfora com frangos no caminhão de mudança, dizendo que eles “colocam o pescoço para fora de onde não devem”, e completa dizendo ao delegado que a pancada vem “de onde o senhor menos esperar”. Saraiva rebate dizendo que o deputado não apresentou uma argumentação lógica, e disse estar livre de questões ideológicas em sua denúncia contra Ricardo Salles. “Eu não tenho viés ideológico algum, meu partido é a Amazônia, o Brasil e a Lei”, completou.

Edição: Roberth Costa
Andreza Miranda
Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários