Sem 2ª dose da Coronavac, belo-horizontinos se frustram com imunização contra Covid

vacina coronavac
Ainda não há data para chegada do imunizante (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A semana começou frustrante para muitos belo-horizontinos que esperavam ser imunizados contra a Covid-19. A falta da segunda e última dose da Coronavac fez com que todos voltassem para a casa sem finalizar o processo de imunização. Somente a vacina da AstraZeneca tem sido aplicada na capital mineira.

A PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) informou na sexta-feira (30) que não há vacinas produzidas pelo Instituto Butantan para aplicar a segunda dose nos públicos de 67, 66, 65 e 64 anos. A aposentada Eliane Ferreira estava na expectativa de completar a imunização nesta segunda (3), porém não sabe quando isso vai acontecer.

“Fiquei revoltada, eu tomei a primeira dose, não estou saindo de casa para lugar nenhum para não pegar a Covid. Achei que hoje chegaria a minha vez de tomar a segunda dose”, disse a idosa de 67 anos ao BHAZ. Eliane foi vacinada em 5 de abril e aguardava receber a última dose hoje.

Para a aposentada o planejamento não foi bem praticado e a falta de doses poderia ter sido evitada. “Eles deveriam ter guardado a vacina”, opina. A PBH alega que seguiu a orientação do PNI (Plano Nacional de Imunização) e usou as doses da Coronavac enviadas pelo Ministério da Saúde para a aplicação das primeiras doses, e não guardou o que foi recebido para as segundas.

Mais reclamação

Outras pessoas manifestaram a frustração por não conseguirem ver familiares imunizados devido à falta do imunizante. Nas redes sociais há vários relatos. “Hoje era dia do meu pai tomar a segunda dose da vacina, mas, graças à incompetência do governo de Jair Bolsonaro, não temos o imunizante. E ainda tem quem defenda?”, publicou Marcelo Ernesto.

“Meu pai foi tomar a segunda dose da Coronavac agora e recebeu a notícia que não tem vacina em BH”, “Hoje era para minha mãe tomar a segunda dose da Coronavac, mas está esgotada em BH”, publicaram outros usuários do Twitter.

Quando chega?

Se não bastasse a falta da vacina, ainda há o impasse de quando a situação será normalizada. Eliane, por exemplo, saiu sem saber quando poderá retornar para receber a dose que falta. “Não [passaram nenhum prazo]. Disseram que não tem previsão [de chegar]. Pegaram meu telefone para avisar quando chegaria”.

Procurado pelo BHAZ, a PBH informou que “ainda aguarda informações sobre o quantitativo de doses das vacinas que será repassado ao município”. “A Secretaria Municipal de Saúde fará a retirada das doses assim que autorizada e tão logo tenha este número, novos grupos serão anunciados”.

AstraZeneca

Se falta Coronavac, o mesmo não pode ser dito sobre a vacina AstraZeneca. Isso fez a prefeitura começar a vacinar idosos de 60 anos, completos até 31 de maio, com o imunizante da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). O Executivo municipal espetar vacinar aproximadamente 36 mil pessoas desta faixa etária.

A aplicação da vacina ocorre das 7h30 às 16h30 nos postos fixos e extras. Já nos postos drive-thru a vacinação é das 8h às 16h30. Para se imunizar é necessário levar documento de identidade, CPF e comprovante de residência. Todos devem estar de máscara e respeitar o distanciamento. O ideal é que o idoso leve, no máximo, um acompanhante.

Para conferir os locais de vacinação clique aqui. Idosos de 60 anos acamados e com mobilidade reduzida devem se cadastrar aqui para receber a imunização.

Nota da PBH na íntegra

“A Prefeitura de Belo Horizonte ainda aguarda informações sobre o quantitativo de doses das vacinas que será repassado ao município. A Secretaria Municipal de Saúde fará a retirada das doses assim que autorizada e tão logo tenha este número, novos grupos serão anunciados”. 

Edição: Roberth Costa
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas pelo prêmio CDL.

Comentários