Homem é preso por matar colega de pensão após brigas na Grande BH

Viatura da Polícia Civil
Suspeito também furtou uma TV, um aparelho celular e até um botijão de gás que pertenciam ao homem (Amanda Dias/BHAZ)

Um homem de 32 anos foi preso suspeito de matar um colega de pensão, de 54 anos, no município de Ibirité, região metropolitana de Belo Horizonte. O investigado foi localizado na última sexta-feira (30) em Ribeirão das Neves, a cerca de 40 quilômetros da cidade em que o crime foi cometido. De acordo com a Polícia Civil, os dois “vinham tendo conflitos por algumas questões de pouca importância, como tempo no chuveiro e utilização da cozinha”.

A vítima, que morava no local há cerca de quatro meses, foi encontrada morta no próprio quarto no dia 26 de março. “No dia dos fatos, os dois estavam a sós na pensão e, após trocas de agressões verbais, o suspeito se armou com uma barra de ferro e atingiu a vítima com diversos golpes na cabeça”, explica o delegado Welington Faria, titular da Delegacia Especializada de Homicídios (DEH) em Ibirité.

Latrocínio ou homicídio qualificado

Ainda de acordo com o delegado, o suspeito também chegou a furtar uma TV, um aparelho celular e até um botijão de gás que pertenciam ao homem. Imagens do circuito de segurança do estabelecimento obtidas pela Polícia Civil mostram que, depois de matar o colega de pensão, o homem de 32 anos foi flagrado deixando o local com os objetos. Em depoimento, o investigado admitiu o homicídio e alegou que, com o objetivo de levantar uma quantia em dinheiro para a fuga, levou os objetos. Ele conta que vendeu o que foi furtado por aproximadamente R$ 500, sem indicar o possível receptador.

A prisão temporária do suspeito é de 30 dias. De acordo com o delegado Welington Faria, nesse período o inquérito policial deve ser concluído com o indiciamento. A Polícia Civil aguarda o laudo de necropsia e outras pessoas também devem ser ouvidas. A corporação trabalha com duas hipóteses: latrocínio, isto é, se a real intenção do investigado era subtrair os objetos do colega de pensão, ou homicídio qualificado em concurso com o crime de roubo.

“A versão apresentada pelo suspeito é que a vítima é quem estava com a barra de ferro, ele a desarmou e, no calor das discussões, desferiu os golpes”, conclui o delegado. O investigado foi encaminhado ao sistema prisional e se encontra à disposição da Justiça.

Com PCMG

Edição: Roberth Costa
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários