Hospital veterinário de BH terá nova estrutura e atendimento ampliado

cachorro marrom
PBH precisou agir depois que o hospital, que começou a funcionar em março deste ano, anunciou a suspensão das atividades (Reprodução/Agência Brasil)

A PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) inicia, nesta segunda-feira (3), o processo de ampliação e melhorias no atendimento médico gratuito aos animais da população de baixa renda, com a reestruturação do Hospital Público Veterinário de Belo Horizonte. A unidade terá os serviços ampliados em uma nova estrutura, localizada no bairro Madre Gertrudes, região Oeste do município.

Em um prazo de 96 horas, a unidade receberá equipamentos, insumos, materiais de escritórios, sinalização e placa de identificação para o atendimento ao público nesta quarta-feira (5), a partir das 8h. Neste primeiro momento, estão previstos atendimentos básicos: consultas para prescrição médica, realização de curativos e tratamento de feridas. Casos graves e de urgência serão encaminhados para clínicas parceiras. Na nova estrutura, o atendimento ao público passa a ser de 8h às 18h.

“O espaço para a internação de animais foi ampliado. No novo hospital teremos um setor específico para exames de corpo delito em animais sob maus tratos, em ação da Prefeitura em apoio à Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros, além de consultório e sala de espera específicos para os felinos”, explica o gerente de Defesa dos Animais, Leonardo Maciel. 

A unidade, segundo o técnico, terá uma entrada, pela rua Albert Scharle, para atendimento de equipes de resgate e animais vítimas de atropelamento. O atendimento ao público também será individualizado, com um profissional da área veterinária destinado ao acompanhamento do tutor e do seu animal do início da consulta até a saída da unidade. 

Como consultar?

Para a consulta, os documentos necessários para atendimento serão Carteira de Identidade (RG), CPF e comprovante de residência em Belo Horizonte, além de inscrição no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais).

“É importante ressaltar para os usuários do hospital público, que continua valendo as regras e protocolos definidos para o combate ao Coronavírus: distanciamento social, uso de máscara e higiene das mãos. Em razão das restrições, só é permitido um tutor por animal”, afirma Leonardo Maciel.

Suspensão dos serviços

O primeiro hospital público veterinário de Belo Horizonte, com atendimento gratuito à população, começou a funcionar em março deste ano, em parceria com a Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais de São Paulo (Anclivepa-SP), organização da sociedade civil vencedora do chamamento público.

Com a decisão da entidade de anunciar, sexta-feira passada, unilateralmente, a suspensão dos serviços, a PBH foi obrigada a buscar soluções para que população não seja prejudicada.

A equipe da Anclivepa-MG, parceira da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), conta com quase 40 profissionais para a prestação do serviço (Divulgação/PBH)

“A PBH, preocupada com o compromisso assumido com a população e com os amantes dos animais, já se articulou para que o serviço de assistência a cães e gatos não seja encerrado na cidade, a primeira de Minas a oferecer esse atendimento gratuito. Vamos fazer um contrato de emergência de 180 dias até que um novo chamamento público seja feito”, disse o secretário municipal de Meio Ambiente, Mário Werneck. 

O vice-presidente da Anclivepa-MG, e professor do Centro Universitário de Belo Horizonte, Aldair Junio Woyames Pinto, ressalta que o processo de implantação de um hospital público veterinário gratuito vem sendo construído desde 2017 e que o momento é de união de forças, parcerias, para que o serviço médico animal seja garantido aos cães e gatos da população mais carente.

 Com PBH

Edição: Roberth Costa

Comentários