Mandetta: ‘Bolsonaro tinha assessoramento paralelo para saúde’

bolsonaro e mandetta
Ex-ministro é o primeiro a ser ouvido na CPI da Covid (Carolina Antunes/PR)

Por Victor Fuzeira e Marcelo Montanini

Os ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich participam, nesta terça-feira (4), da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga ingerências do governo federal no enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Aos senadores, Mandetta afirmou que sempre se baseou na preservação da vida e na ciência para tomar decisões, que sempre defendeu a imunização da população e que “houve discordância” com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a política de isolamento social para conter o vírus.

Ele revelou que, enquanto esteve no comando da pasta, testemunhou reuniões de ministros onde Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) fazia notas sobre os encontros. “Eles tinham constantemente reuniões com grupos dentro da Presidência. Tinham um assessoramento paralelo”, apontou.

A sessão teve início por volta das 10h20. Mas um novo bate-boca entre os senadores atrasou o início do depoimento de Luiz Henrique Mandetta, o primeiro a responder perguntas do colegiado.

Leia a matéria no Metrópoles, parceiro do BHAZ.

Comentários