Abrasel pede mudança de horários para bares funcionarem até 22h em BH

Bares de BH podem funcionar de segunda a sábado das 11h às 19h (FOTO ILUSTRATIVA/Tomaz Silva/Agência Brasil)

A Abrasel (Associação de Bares e Restaurantes) apresentou um pedido junto à PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) para mudar o horário de funcionamento dos estabelecimentos na capital mineira. O desejo é de que os comércios da noite possam abrir até às 22h. Especialista entrevistado pelo BHAZ acredita que é preciso “esperar mais ou pouco”, o Executivo municipal, por sua vez, está analisando o pedido.

A proposta de mudança foi apresentada em reunião no dia 31 de maio e contou com a presença do prefeito Alexandre Kalil (PSD) e secretários, conforme disse o presidente da Abrasel, Matheus Daniel. “Formalizamos o pedido para fracionar os horários de funcionamento. Quem serve almoço das 11h às 15h e para quem é da noite de 18h às 22h”.

“Acharam interessante a proposta, mas falaram que era preciso levar ao conhecimento dos demais médicos do comitê”, conta. Matheus disse que no encontro o prefeito citou uma conversa da primeira-dama, Ana Laender, para que ele autorizasse o comércio a funcionar no Dia dos Namorados, data comemorada no próximo sábado (12).

“Kalil falou que os infectologistas não acham viável. Espero que revejam. No Dia dos Namorados o casal é que sai e não a galera”. O presidente da Abrasel espera a decisão da prefeitura, já que se passou uma semana do encontro. “O comércio está muito prejudicado, principalmente o pessoal da noite, já que 70% do faturamento é neste horário”.

‘Quanto antes’

A Abrasel espera ter o pedido aceito pela PBH para que aconteça o fracionamento dos horários. “O ideal é até às 22h direto, mas, se tem que diminuir os horários, que possamos fazer assim [das 11h às 15h e das 18h às 22h]. Esperamos a resposta para que possamos começar o quanto antes”.

Atualmente, os bares de BH podem funcionar de segunda a sábado das 11h às 19h.

PBH

Procurada pela reportagem, a PBH afirmou que o pedido da Abrasel está sendo analisado. “A proposta e o retorno à entidade será dado em até 15 dias, a contar da data de recebimento do documento”, informou ao BHAZ.

‘Não é hora’

O infectologista Unaí Tupinambás acredita que o momento não é propício para mudar o horário de funcionamento, mesmo que fracionado. “Estamos em uma situação muito tensa ainda. Acho que temos que manter certo rigor no distanciamento social. Já vamos flexibilizar com as escolas. Temos que ir devagar”.

O médico se baseia nos dados do Boletim Epidemiológico e Assistencial. “A ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) está muito alta, o RT (transmissão por infectado) entre 0,9 e 1. Temos a incidência de casos novos muito alto, acima de 390; as variantes circulando e as estações do inverno e outono que podem impactar”.

Tupinambás ressalta que o posicionamento dele não representa o dos demais integrantes do Comitê da PBH. “Falo em meu nome e acho que devemos aguardar mais um pouco. Esperar passar junho e julho para pensar em outra flexibilização dos bares. Fazer isso agora pode colocar tudo a perder e a situação sair do controle”, finaliza.

boletim covid 04_06_2021
Infectologista se baseia nos dados do Boletim Epidemiológico (Reprodução/PBH)

Nota da PBH

“A Prefeitura está analisando a proposta e o retorno à entidade será dado em até 15 dias, a contar da data de recebimento do documento”.

Edição: Vitor Fernandes
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas pelo prêmio CDL.

Comentários