‘Amiga’ é indiciada por homicídio de transexual na Grande BH

Autora vai responder pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil, cuja pena é de 12 a 30 anos de prisão (Amanda dias/BHAZ)

A Polícia Civil concluiu o inquérito policial que apura a morte de uma transexual, de 32 anos, em Lagoa Santa, na região metropolitana da capital. Uma amiga da vítima, também de 32 anos, foi indiciada pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil, cuja pena varia de 12 a 30 anos de prisão.

O crime aconteceu no dia 1º de maio deste ano, no bairro Vila Maria II. As investigações concluíram que a suspeita e a vítima estavam consumindo bebida alcoólica, quando começou uma discussão entre elas e a investigada atingiu a amiga com golpes de faca.

A vítima chegou a ser encaminhada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Já a suspeita fugiu logo após o crime, mas foi localizada dias depois pela Polícia Civil.

Na delegacia, a investigada confessou o homicídio e apresentou sua versão dos fatos. O inquérito policial foi encaminhado à Justiça.

Com Polícia Civil

Edição: Roberth Costa
Larissa Reis
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários