Avanço do aborto legal na Argentina irrita brasileiros, que cobram o papa

manifestação aborto legal argentina
Projeto foi aprovado na Câmara dos Deputados e agora segue para o Senado (Fotoarena/Folhapress)

A Câmara dos Deputados da Argentina aprovou, nesta sexta-feira (11), o projeto de descriminalização do aborto no país. Pelo projeto, que segue agora para o Senado, a interrupção da gravidez é permitida até a 14ª semana de gestação. Apesar de ainda não ser definitiva, a medida gerou burburinho em vários países – inclusive no Brasil, onde várias pessoas criticaram o projeto e chegaram a cobrar um posicionamento do Papa Francisco.

A sessão dedicada a debater a descriminalização do aborto durou pouco mais de 20 horas. Ao longo desse tempo, mais de 160 oradores falaram contra e a favor do projeto. Ao fim das deliberações, o projeto foi aprovado por 131 votos a favor, 117 contra e seis abstenções.

O projeto reconhece a decisão de profissionais que não queiram realizar o procedimento e estabelece que, se uma instituição privada se recusar a fazer o aborto, deve transferir o paciente a outro hospital. No caso de menores de 16 anos, será necessária autorização dos representantes legais.

Brasileiros cobram papa

No Brasil, o assunto logo repercutiu e o termo “aborto” ficou entre os assuntos mais comentados das redes sociais. No Twitter, centenas de conservadores criticavam a decisão da Câmara argentina e decidiram reivindicar um posicionamento do papa Francisco sobre a decisão. Eles se indignaram com o silêncio do pontífice e o acusaram de ser “comunista”.

“Em terras de papa comunista, o aborto é liberado… E o santo padre, calado”, comentou um internauta. “O papa ainda não emitiu nenhuma nota sobre o genocídio aprovado na Argentina? Afinal o papa é argentino”, disse um segundo. Um terceiro ainda ironizou a falta de um comunicado oficial: “Esse papa é cristão?”.

A movimentação dos conservadores logo atraiu a atenção de várias outras pessoas. Muitas, especialmente aquelas favoráveis à decisão da Câmara dos Deputados argentina, fizeram piada da indignação dos conservadores e comemoraram o avanço da legislação sobre aborto no país vizinho.

“Mulheres argentinas comemorando uma decisão histórica em favor da legalização do aborto enquanto o governo faz o plano de vacinação e fecha parcerias pra garantir a vacina… Que invejinha da Argentina”, disse uma jovem. “E eles ainda cobram o papa… Essa galera me diverte muito”, brincou uma outra.

Com Agência Brasil

Edição: Roberth Costa
Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Repórter no BHAZ desde outubro de 2019. Jornalista graduada pela PUC Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais) e com atuação focada nas editorias de Cidades, Guia e Cultura.

Comentários