BH confirma primeiros casos da variante Delta, após voo vindo do Reino Unido

Laboratório BH
O Laboratório Municipal de Biologia Molecular encaminhou as amostras para análise da UFMG (FOTO ILUSTRATIVA: Adão de Souza/PBH)

Belo Horizonte confirmou, nessa segunda-feira (26), os primeiros casos da variante Delta do novo coronavírus. Os dois contaminados tinham retornado de viagem do Reino Unido, no dia 11 de julho, e cumpriram o isolamento em casa. Segundo o Governo de Minas, os demais passageiros do voo, que tiveram como destino a capital mineira, também estão em isolamento e sendo monitorados, mas nenhum apresentou sintomas condizentes com a Covid-19.

O Ministério da Saúde e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) também foram notificados sobre a ocorrência destes dois casos da variante Delta para as devidas ações de vigilância epidemiológicas e monitoramento em outros estados. As cepas foram detectadas por pesquisadores de um dos laboratórios de sequenciamento genético da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), em parceria com a PBH (Prefeitura de Belo Horizonte).

A SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais), por meio do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs-MG), explica que tem monitorado todos os voos originados de áreas de restrição. Desta forma, o Centro notificou a Secretaria sobre o voo vindo do Reino Unido que chegou a BH. Durante o monitoramento, foi identificado que dois passageiros apresentavam sintomas leves condizentes com a Covid-19, como nariz escorrendo e tosse.

Diante da suspeita de coronavírus, no dia 16 de julho, foram coletadas amostra de ambos os passageiros, que testaram positivos para a doença. As amostras foram encaminhadas tanto para UFMG, quanto para a Fundação Ezequiel Dias (Funed), que realizaram o sequenciamento genético. O resultado saiu ontem (26), confirmando que os dois casos eram da variante Delta. O laboratório notificou a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte e a SES-MG.

Isolamento

Segundo o governo estadual, os dois passageiros mantiveram o isolamento domiciliar durante 14 dias. Os pacientes sentiram apenas sintomas leves, passam bem e já apresentaram melhora. Ainda de acordo com o governo, durante o isolamento, os contaminados tiveram contato apenas com um familiar, que testou negativo. Tanto eles como seus contatos domiciliares foram monitorados durante o período e permaneceram em casa.

Os demais passageiros do voo também estão em isolamento e sendo monitorados e nenhum outro apresentou sintomas compatíveis com a Covid-19. A administração do estado implementou um painel de monitoramento por meio do qual é possível consultar qual o tipo de variante ou linhagem foi identificada no estado, o município em que a respectiva variante foi detectada e o número de amostras analisadas em cada região (acesse aqui). Para consultar as informações, basta ir em “Variantes”, na página 8.

Casos em Minas

Com as duas novas confirmações, Minas soma três casos da variante Delta, sendo o primeiro registrado em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, ainda em maio. Segundo a SES-MG, a secretaria tem realizado um monitoramento restrito dos casos suspeitos da variante, a fim de coibir a disseminação da variante no estado. A Secretaria Municipal de Saúde também disse que segue realizando o monitoramento permanente da situação.

A Prefeitura esclarece que é necessário manter as mesmas recomendações sanitárias como o uso correto de máscaras, evitar aglomerações e lavar as mãos com frequência.

Edição: Roberth Costa

Comentários