Canto da Rua Emergencial: Governo de Minas cede Serraria e projeto deve continuar em BH

canto da rua emergencial
Projeto atende, em média, 800 pessoas (Amanda Dias/BHAZ)

O espaço da Serraria Souza Pinto foi cedido para a continuidade do Canto da Rua Emergencial. O Governo de Minas anunciou nessa terça-feira (20) que “entende a importância” das ações para a população em situação de rua. O projeto estava previsto para terminar no próximo mês. A PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) informou ao BHAZ que as atividades devem continuar. Uma representante da Pastoral da Rua defende o prosseguimento dos trabalhos, mas diz que o principal são as “políticas públicas de ajuda permanente”.

O Canto da Rua Emergencial iniciou as atividades em junho de 2020 com o objetivo de apoiar e oferecer atendimento em diversos serviços para pessoas em situação de rua na capital mineira devido à pandemia do novo coronavírus. O projeto atende, em média, 800 pessoas diariamente na região Central da cidade.

A PBH anunciou o fim das atividades após pouco mais de um ano de serviço ofertado. Uma publicação realizada no DOM (Diário Oficial do Município) informou o término a partir de 13 de agosto. Ontem, por meio de nota, o governo do estado anunciou a prorrogação da cessão do espaço até 10 de setembro.

“A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) e a Fundação Clovis Salgado (FCS), entendendo a importância das ações de promoção dos direitos humanos da população em situação de rua e a adoção de medidas emergenciais voltadas às especificidades desse público, decidiram prorrogar pela 10ª vez a cessão da Serraria Souza Pinto para a continuidade do projeto Canto da Rua Emergencial”, afirmou em um dos trechos.

Vai continuar?

Procurada pelo BHAZ, a PBH informou que, “até o momento, a informação oficial é que a cessão da Serraria Souza Pinto acontecerá até 13 de agosto”. As atividades, segundo o Executivo municipal, vão prosseguir em parceria com a Pastoral de Rua, “caso esse prazo seja ampliado”.

“A prefeitura informa, ainda, que o atendimento à população em situação de rua está sendo ampliado no Centro Pop Leste, conforme o planejamento já realizado, com previsão de início dos atendimentos já na primeira semana de agosto”.

Políticas públicas

Em entrevista ao BHAZ, Maria Cristina Bove, integrante da Pastoral de Rua, disse que a continuidade projeto é importante devido às atividades desempenhadas no espaço. “Além de ser um lugar de higienização e da população em situação de rua ter as demandas imediatas e essenciais garantidas, o Canto da Rua Emergencial oferece apoio psíquico social”.

“Basicamente, o projeto está respondendo as necessidades e sendo apoio para este grupo que procura os serviços. Defendemos a continuidade dos serviços para que as pessoas sejam atendidas com dignidade”, destaca.

Além do prosseguimento do Canto da Rua Emergencial, Bove lembra que é preciso pensar em políticas públicas para a população que vive nas ruas. “Temos que criar condições para as pessoas saírem das ruas. É necessário uma política de habitação, queremos discutir trabalho e renda. A população de rua precisa deste apoio”, finaliza.

Nota da PBH

“Até o momento, a informação oficial é que a cessão da Serraria Souza Pinto acontecerá até 13 de agosto, conforme publicação no Diário Oficial do Estado. Caso esse prazo seja ampliado, o município manterá a parceria com a Pastoral de Rua.

A Prefeitura informa, ainda, que o atendimento à população em situação de rua está sendo ampliado no Centro Pop Leste, conforme o planejamento já realizado, com previsão de início dos atendimentos já na primeira semana de agosto”.

Nota do Governo de Minas

‘A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) e a Fundação Clovis Salgado (FCS), entendendo a importância das ações de promoção dos direitos humanos da população em situação de rua e a adoção de medidas emergenciais voltadas às especificidades desse público, decidiram prorrogar pela 10ª vez a cessão da Serraria Souza Pinto para a continuidade do projeto Canto da Rua Emergencial.

A prorrogação só foi possível graças ao grande esforço feito pela Sedese e pela FCS para que Prefeitura de Belo Horizonte possa viabilizar o término das obras do ‘Albergue Tia Branca’ e o ‘Pop Rua’, que irão acolher de forma permanente as pessoas que são atendidas na Serraria Souza Pinto. A devolução das chaves da Serraria Souza Pinto está prevista para o dia 10 de setembro de 2021″.

Edição: Roberth Costa
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas pelo prêmio CDL.

Comentários