IBGE abre 48,5 mil vagas para seleção simplificada de recenseadores; mais de 4 mil delas são em Minas

Concurso terá mais de 4 mil vagas para Minas
Concurso terá mais de 4 mil vagas para Minas (Reprodução/Tânia Regô/Agência Brasil)

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) abriu um processo simplificado para 48.535 vagas para recenseadores do Censo 2022. A previsão de duração dos contratos é de até três meses, com a chance de ocorrer uma prorrogação. As vagas, distribuídas em todas as regiões do Brasil, exigem nível fundamental completo. As inscrições são por meio do formulário virtual e podem ser feitas até a próxima quarta-feira (15). Para mais informações o candidato pode acessar o portal do IBGE.

A função do recenseador é entrevistar os moradores durante a coleta de dados. Sua remuneração é por produção, assim, a quantia depende do tempo trabalhado e do grau de dificuldade na abordagem domiciliar. Para auxiliar os trabalhadores, o IBGE criou um simulador que mostra uma estimativa de remuneração a partir da quantidade de horas semanais trabalhadas.

O coordenador de Recursos Humanos, Bruno Malheiros, disse que a seleção ocorrerá por análise do currículo. “Os candidatos devem preencher o formulário com os dados relativos à formação, e essa análise de títulos será classificatória. Quando forem convocados, eles precisam comprovar a titulação”, explicou.

A divulgação dos selecionados está prevista para o dia 30 de junho. Antes do início da coleta do censo, o recenseador passará por um treinamento obrigatório. O edital recomenda que o profissional tenha uma jornada de trabalho mínima de 25 horas semanais.

Número de vagas

De acordo com o IBGE, Minas Gerais é o terceiro estado com maior oferta de vagas no edital, sendo 4.633 ao todo. No geral, o Instituto deve contratar 206.891 servidores temporários para trabalhar no censo. “Dessas vagas, 183.021 são para recenseadores, que passarão por treinamento entre os dias 18 e 22 de julho. Mais de 130 mil vagas para essa função foram preenchidas na seleção realizada em abril”, disse Malheiros.

“O processo complementar tem o objetivo de contratar pessoal para as vagas que não foram preenchidas no processo seletivo simplificado. A diferença entre as duas seleções é que no PSS complementar há análise curricular em vez de prova e não é cobrada taxa de inscrição”, explica.

Com Agência Brasil

Edição: Roberth Costa
Giulia Di Napoligiulia.di.napoli@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários