Cinegrafista acusado de assediar colegas de trabalho é demitido da Globo após 15 anos

mikael fox
O repórter cinematográfico trabalhava na emissora há 15 anos (Reprodução/Redes sociais)

Um cinegrafista da TV Globo foi demitido por assédio sexual, a menos de uma semana para o começo das Olímpiadas de Tóquio. Mikael Fox, que trabalhava na emissora há 15 anos, teria abusado de uma produtora durante uma festa no hotel em que está hospedada a equipe de reportagem enviada ao Japão para cobrir o evento.

Conforme informações divulgadas pela Veja Rio, outras duas funcionárias denunciaram a conduta do homem à diretoria da empresa, que o demitiu na última sexta-feira (16). Fox teve que deixar a idade olímpica e retornar ao Brasil.

Em nota, a emissora confirmou o desligamento do profissional. “Por decisão da Globo, que não foi tomada por nenhum profissional do time que está em Tóquio, o repórter cinematográfico Mikael Fox não faz mais parte do time de Esporte da empresa”, disse.

“Sobre os questionamentos de compliance, a Globo não comenta assuntos de Ouvidoria, mas reafirma que todo relato de assédio, moral ou sexual, é apurado criteriosamente assim que a empresa toma conhecimento. A Globo não tolera comportamentos abusivos em suas equipes”, finaliza o comunicado.

Em 15 anos de emissora, o repórter cinematográfico já trabalhou no Jornal Nacional, Fantástico, Profissão Repórter e Globo Repórter.

Larissa Reis
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários