Projetos culturais terão financiamento recorde do governo mineiro: R$ 11,5 milhões

Secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo

O Fundo Estadual de Cultura (FEC), responsável por financiar projetos culturais sobretudo no interior de Minas Gerais, terá um orçamento 65% maior do que o do ano passado – serão destinados R$ 11,5 milhões neste ano. O aumento foi possível, segundo o governo mineiro, graças a recursos provenientes de multas e de reembolsos de projetos que sofreram descaracterizações, além da liberação através de emendas parlamentares. O valor foi anunciado pelo secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo, em cerimônia realizada no Palácio das Artes, nesta sexta-feira (20).

Ainda na ocasião, foram lançados três editais pelos quais os agentes de cultura poderão concorrer aos investimentos. Entre os valores previstos, R$ 6,6 milhões serão destinados aos eventos culturais das prefeituras municipais e aos festejos tradicionais — como congadas e folias de reis; R$ 2,4 milhões serão destinados aos pontos de cultura; e R$ 2,5 para eventos a serem realizados no interior do Estado. As inscrições serão abertas no dia 20 de junho.

Sob acentuada crise financeira e baixa arrecadação através do Fundo de Participação dos Municípios, os orçamentos das prefeituras têm sido insuficientes para realização de eventos culturais. O problema é ainda mais grave devido à centralização dos recursos públicos. Segundo o próprio secretário Angelo Oswaldo, 80% dos investimentos voltados para os projetos culturais ficam retidos na região metropolitana de Belo Horizonte, enquanto que apenas 20% são destinados para o interior

Guilherme Scarpellini

Guilherme Scarpellini é redator de política e cidades no Portal BHAZ.