[Coluna do Orion] Aécio enviou apelo a Pimentel para segurar denúncia contra si

Conversa de Aécio e Gabriel foi grampeada (Reprodução/Brasil247)

Em conversa telefônica, grampeada pela Polícia Federal, o senador Aécio Neves e presidente nacional do PSDB, hoje afastado dos dois cargos, recorreu ao deputado federal Gabriel Guimarães (PT) para levar ao governador Fernando Pimentel (PT) apelo para que ele “segure” o “louco” do deputado estadual Rogério Correia (PT). O tucano referia-se às denúncias que Correia fazia contra ele junto à Procuradoria da República, de esquema de propinas na estatal Furnas (federal). A gravação foi feita no final de março, ou seja, antes da divulgação do áudio devastador da conversa dele com o empresário Joesley Batista, da JBS. O áudio mostra, porém, que nessa época, Aécio já estava sendo investigado pela Polícia Federal.

Aécio faz o pedido a Guimarães de maneira cordial, chamando Pimentel de “amigo”, mas insinua que, caso contrário, terá que colocar seus aliados na Assembleia Legislativa para contra-atacar, batendo no governador. Para demonstrar boa vontade, Aécio ainda sinaliza interesse em adequar, no Senado, o projeto de renegociação das dívidas dos estados que tramitava no Congresso Nacional, impondo exigências aos estados que aderissem, como venda de estatais e congelamento de salários de servidores e de concursos. Pimentel foi contra o projeto e não irá aderir à renegociação.

“Sei que é muito complicado, mas é aquela velha história, o doido de cada lado que a gente tem de estar administrando. Hoje, de novo, entrou com negócio e tal…Fica a imprensa atrás de mim, não custa o cara (Pimentel) dar uma ligada. O cara está aí cheio de gente no governo, parente… Dá uma ligada pra ele e pede para baixar a bola. Senão volta de novo a nossa turma. Estamos num momento que não dá para fazer graça, entendeu? Conversa com o Fernando aí, estamos tentando construir um caminho adequado. Veja se ele ajuda daí, senão os doidos daqui também, já viu né?”, diz Aécio, que ouviu de Guimarães uma resposta animadora, de que iria conversar “agora” com o governador.

Guimarães não retornou à ligação nem o governador se manifestou sobre o assunto, mas Rogério Correia reagiu: “Aécio Canalha! Deu golpe com Temer, Cunha e Gilmar Mendes e, agora, pede socorro no PT, que chamou de organização criminosa. Ainda bem que Pimentel nunca me pediu nada para este golpista!”, disse Correia, afirmando ainda que Gabriel estava em “péssima companhia” e que foi “muito cordato”. “Incrível. Ele ameaça o governador Pimentel com os seus “cachorros doidos”. Não é à toa que, em MG, todos comentam que a operação acrônimo (que investiga Pimentel) é uma armação da turma dele”, acusou o petista.

Assembleia aumenta impostos sobre combustíveis

Com ausência de 12 deputados da base aliada, a Assembleia Legislativa, ainda assim, conseguiu aprovar, nesta quinta (1) projeto do governador Fernando Pimentel (PT) que aumenta em dois pontos percentuais a tributação sobre os combustíveis e do IPVA para caminhonetes cabine dupla. A mudança só vale a partir de janeiro do ano que vem. A alta do ICMS e IPVA foi incluída no substitutivo ao Projeto de Lei nº 3397/2016, que prevê a renegociação de dívidas tributárias, apresentado no final da tarde do dia 30 de maio.

Em dois dias, a proposta aprovada e, agora, o projeto segue para a sanção do governador. O ICMS para a gasolina passará de 29% para 31%. No caso do álcool, a alíquota sobe de 14% para 16%. Na bomba, a gasolina sairia de um valor médio de R$ 3,518 para R$ 3,588 e o álcool de R$ 2,508 para R$ 2,558. Já o IPVA para veículos de cabine dupla ou estendida terá alta de 33,3%, passando de 3% para 4%.

Também foram aprovados aumentos de ICMS para solventes e nas importações de mercadorias, como no caso de compras feitas pela internet. O imposto sobre solvente salta de 25% para 31% no caso de solvente não destinado à industrialização e de 18% para 31% no caso do produto destinado à industrialização.

Ao mesmo tempo, o projeto original prevê facilitar o pagamento de dívidas tributárias, possibilitando a melhoria das condições para o Estado reaver os créditos que possui com o contribuinte. A expectativa da Secretaria de Estado de Fazenda é de gerar uma receita de R$ 1,5 bilhão.

(*) Jornalista político; leia mais no www.blogdoorion.com.br

Orion Teixeira
Orion Teixeiraorionteixeira.orionteixeira@gmail.com

Jornalista político, Orion Teixeira recorre à sua experiência, que inclui seis eleições presidenciais, seis estaduais e seis eleições municipais, e à cobertura do dia a dia para contar o que pensam e fazem os políticos, como agem, por que e pra quem.

É também autor do blog que leva seu nome (www.blogdoorion.com.br), comentarista político da TV Band Minas e da rádio Band News BH e apresentador do programa Pensamento Jurídico das TVs Justiça e Comunitária.