Covid-19: BH já vacinou metade do público alvo com 1ª dose

vacina covid
Capital mineira já vacinou metade do público alvo (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Belo Horizonte atingiu a marca de 1 milhão de pessoas vacinadas com a primeira dose do imunizante contra o novo coronavírus, o número representa metade do público alvo com a cobertura vacinal inicial. Especialista entrevistado pelo BHAZ destaca que o fato é uma “batalha vencida” graças à ciência e estimula a população a se imunizar.

O Boletim Epidemiológico e Assistencial da PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) dessa quarta-feira (16) informa que 1.000.819 pessoas receberam a primeira dose da vacina. Os imunizantes utilizados são: Coronavac, AtraZeneca e Pfizer. Com mais de 1 milhão vacinados, BH está com 49,1% do público alvo vacinado com a primeira aplicação.

indicadores vacinação
Indicadores da vacinação em BH (Reprodução/PBH)

A imunização contra a Covid-19 só acontece após a pessoa tomar a segunda e última dose dos imunizantes. Até o momento, 20,3% do público alvo já está imunizado por completo. Veja os números de vacinados por grupos em Belo Horizonte.

GRUPOS VACINADOS1ª DOSE2ª DOSE
Idosos de 60 anos ou mais463.918312.630
Pessoas com comorbidades, beneficiários do BPC, gestantes e puérperas187.398
Trabalhadores da Saúde185.40494.872
Forças de segurança e salvamento, forças armadas e funcionários do sistema de privação de liberdade17.369151
Trabalhadores da educação59.882
População de 56 a 59 anos57.255
Outros grupos29.5935.236
Dados disponibilizados no Boletim Epidemiológico e Assistencial da PBH

‘Batalha vencida’

A marca de 1 milhão de vacinados com a 1ª dose é considerada pelo médico infectologista Leandro Curi como “vitória”. “As vacinas mudaram a história da saúde no Brasil. Não temos casos de paralisia infantil, reduziu os diagnósticos de febre amarela e tantas outras doenças. Criticar vacina não faz sentindo algum. Baseado nisso, digo que este número é uma vitória”.

O especialista destaca que a imunização no país poderia estar mais avançada. “O Brasil tem um programa de imunização maravilhoso e exemplar, mas não o aproveitamos para a Covid. Vacilamos e a prova disso é a mortalidade que está alta”, destacou.

Apesar disso, Curi diz que é preciso comemorar o feito de 1 milhão de vacinados com 1ª dose. “Vamos comemorar este número como uma das batalhas vencidas. A guerra ainda continua e temos outras batalhas até atingirmos a vacinação de todos e isso precisa ser rápido, pois à medida que o vírus circula ele sofre mutações”.

Eficácias

A população, segundo Curi, pode ficar tranquila quanto as eficácias dos imunizantes disponíveis. “Todas as vacinas são eficazes. A história nossa do Brasil é vacinar e nunca questionamos as marcas. Se passou pelo crivo técnico da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), as pessoas podem vacinar tranquilamente”.

O especialista alerta que, mesmo quem já se imunizou com as duas doses, precisa continuar seguindo as normas sanitárias de prevenção à Covid. “Vacina não é passaporte para ficar sem máscara. Vacina mais a máscara diminuiu a chance da pessoa se contaminar, transmitir e contribui para a sociedade”.

“Vacine quando chegar a sua vez, use máscara e vamos confiar na ciência para conseguirmos diminuir a circulação do vírus e voltarmos o mais breve para nossa rotina”, conclui.

Covid-19 em BH

A capital mineira registra 224.976 casos confirmados de Covid-19 e 5.487 mortes. Os dados são do Boletim Epidemiológico e Assistencial da PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) de ontem (16). A cidade tem 212.401 recuperados e 7.088 em acompanhamento.

Os indicadores de monitoramento da pandemia na cidade estão da seguinte forma:

  • Número médio de transmissão por infectado (RT) – 0,92 – nível verde
  • Ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Covid-19 – 74,1% – nível vermelho
  • Ocupação de leitos de enfermaria Covid-19 – 52,3% – nível amarelo
Edição: Vitor Fernandes
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas pelo prêmio CDL.

Comentários