‘Vamos precisar de minivan’: Durante ultrassom, grávida de BH descobre que terá quadrigêmeos

grávida quadrigêmeos
Mulher soube da notícia no momento de ultrassom (Reprodução/@paulameireles2/Instagram)

Não um, nem dois, muito menos três. Quatro. Essa é a quantidade de filhos que a A jornalista mineira Paula Miereles, de 36 anos, se prepara para receber de uma só vez, muito em breve. O que era para ser uma gravidez comum, como planejado quando ela ainda não sabia que teria que repensar todo o espaço da casa (e da vida!), se multiplicou e agora quatro bebês estão à caminho.

Ao BHAZ, Paula conta que não chegava nem a cogitar ter gêmeos, quem dirá o dobro. “Nunca passou isso pela minha cabeça. Quando a gente foi avançando na fertilização, fui preparando meu corpo para transferência dos embriões”, relembra Paula.

A mulher, que mora com o marido, também jornalista, em um apartamento de 50 metros quadrados na região Centro-Sul de BH, conta que o objetivo do casal era apenas preencher um dos cômodos vazios da residência. “Nunca ocupei aquele quarto, sempre foi do neném. Deixei vazio para ele não pensar que aqui não teria espaço para ele”, brinca.

Gêmeos, trigêmeos… quadrigêmeos!

Após a fertilização, o casal pesquisou sobre quantos bebês poderiam ser fecundados e viram que a possibilidade de gêmeos era alta. A pesquisa causou um pequeno susto mas os dois logo se tranquilizaram, afinal, era apenas uma possibilidade.

Mas, ao chegar ao consultório médico, os pais receberam a notícia de que não teriam gêmeos, mas sim trigêmeos. “No exame de ultrassom, a médica falou que eram três, e a primeira coisa que pensei foi no espaço [da casa]”. Mas o número logo mudou ali, na própria consulta, e o casal descobriu que, na verdade, estava esperando quadrigêmeos.

“Ela ficou avaliando e disse ‘acho que tem mais alguma coisa aqui’…”, relembra Paula. “Quando ela falou que tinham quatro, eu fiquei quase que anestesiada. Meu marido ainda perguntou porquê isso aconteceu com a gente, eu falei com ele que não vamos saber agora, é uma missão”, conta.

‘Vamos precisar de uma minivan’

Ainda pensando no que fazer com a novidade quádrupla vinda da médica, Paula chegou a cogitar comprar uma minivan para conseguir se deslocar com os filhos. “Eu fiquei assim, eu preciso comprar uma minivan. Um carro normal não cabe esse monte de pessoas, seremos seis. Cheguei a pesquisar na internet quanto custa [o carro]”, brinca.

Apesar do susto e das noites em claro para tentar esboçar uma conta com os gastos que o casal vai ter com a chegada dos quatro irmãos, Paula afirma que recebeu “boas energias” das pessoas mais próximas. “Muita gente já até falou que pode nos emprestar [itens de bebês] quando a gente precisar. A gente recebeu muito carinho”, lembra.

Sobre o nome dos bebês, a mãe afirma que vai precisar de uma lista, mas ainda não sabe o sexo dos bebês para conseguir pensar nas possibilidades dos nomes.

“A gente sabe que, por conta do método de fertilização, serão dois casais de gêmeos idênticos. Podem ser dois meninos e duas meninas, ou quatro meninos e quatro meninas. Existe uma lista de nomes mas preciso esperar para saber o sexo para em quantas opções de nomes”, conta a futura mamãe.

Edição: Giovanna Fávero
Jordânia Andrade
Jordânia Andradejordania.andrade@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde outubro de 2020. Jornalista formada no UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) com passagens pelos veículos Sou BH, Alvorada FM e rádio Itatiaia. Atua em projetos com foco em política, diversidade e jornalismo comunitário.

Comentários