Adesivos distribuídos irregularmente sugerem dobradinha entre Anastasia e Bolsonaro

Letícia Vianna/Bhaz

Após o frustrado encontro entre os candidatos ao governo promovido pela AMM (Associação Mineira de Municípios) na segunda-feira (22), apoiadores distribuíram para quem saía das dependências do Teatro Ney Soares um material de campanha que sugeria uma dobradinha entre Antonio Anastasia (PSDB) e Jair Bolsonaro (PSL) para governador e presidente, respectivamente. Os adesivos contam com as logomarcas oficiais dos candidatos, mas sem os dados das coligações, conforme prevê a legislação eleitoral.

O material estava sendo distribuído em sacolas para quem saía do evento – principalmente para as lideranças do interior do Estado. Os adesivos estavam embalados em grandes quantidades dentro de sacolas plásticas; essas sacolas, por sua vez, estavam empilhadas dentro de caixas de papelão.

Em nota, a campanha de Anastasia afirmou não conhecer os adesivos e garantiu não se tratar de um material oficial. Completou ainda que, conforme já divulgado, “o voto pessoal de Anastasia será mantido reservado, dando liberdade para que as lideranças que apoiam sua candidatura manifestem suas posições pessoais”.

Já Bolsonaro, por sua vez, na última semana deixou claro que no segundo turno para governadores apoia somente os candidatos de seu partido, o PSL, se mantendo neutro nos Estados em que a legenda não está na disputa – como é o caso de Minas Gerais.

A lei eleitoral proíbe a distribuição de materiais impressos de campanha sem o CNPJ ou CPF do responsável pela confecção e sem a identificação da coligação, como ocorre em tal material distribuído. O infrator responde por “emprego de processo de propaganda vedada” e, se for o caso, por “abuso do poder”.

‘Onda Bolsonaro’

Esse não é o primeiro caso de candidatos que “surfam” na grande popularidade do presidenciável do PSL para “apoios extra oficiais”. No primeiro turno, mesmo com candidato do partido ao Palácio do Planalto, o candidato ao Governo de Minas Romeu Zema (Novo) acenou apoio a Bolsonaro durante debate da Rede Globo. No último domingo (21), o pleiteante ao Palácio da Liberdade também esteve presente na manifestação a favor da candidatura do deputado ocorrida em Belo Horizonte – no entanto, chegou a ser vaiado por parte do público que o chamou de “oportunista”.

Durante o primeiro turno, foram diversos os candidatos à Assembleia Legislativa e à Câmara dos Deputados que sugeriram uma dobradinha com Bolsonaro mesmo sem nenhum tipo de relação oficial entre os partidos.

Letícia Vianna/Bhaz
Rodrigo Salgado

Repórter do Portal Bhaz.