Zema falta a encontro com prefeitos e tem propostas criticadas por Anastasia: ‘Pode ser que funcione em Dubai’

Letícia Vianna/BHAZ

Com a presença de mais de 400 prefeitos de cidades mineiras, além dos senadores eleitos Carlos Viana (PHS) e Rodrigo Pacheco (DEM), um evento promovido nesta segunda-feira (22) pela AMM (Associação Mineira de Municípios) teve frustrado o objetivo de discutir e apresentar propostas para a relação entre o Estado e os municípios com os dois concorrentes ao Governo de Minas. O candidato do Novo, Romeu Zema, faltou ao encontro alegando impossibilidade de se deslocar entre o Triângulo Mineiro e a capital – e se tornou alvo de críticas dos chefes de Executivo municipal presentes e do adversário Antonio Anastasia (PSDB).

Os gestores municipais que vieram a BH para o “Painel Dos Candidatos ao Governo de Minas Com Os Prefeitos Mineiros”, como o evento foi batizado, classificaram como “desrespeitosa” a ausência de Zema. “Nós precisamos de um comprometimento com os prefeitos. Precisamos de um governador que esteja aberto ao diálogo conosco. E a ausência dele quer dizer que a outra agenda é prioridade em detrimento da nossa”, afirmou Julvan Lacerda (MDB), prefeito da cidade de Moema (região Central de Minas) e presidente da AMM. Os prefeitos também demonstraram enérgico apoio a Anastasia – apesar disso, a associação não apoia oficialmente nenhum candidato.

Mais de 400 prefeitos de cidades mineiras participaram do encontro (Letícia Vianna/BHAZ)

Apesar da ausência do candidato do Novo, o concorrente tucano aproveitou algumas brechas para cutucar o concorrente. Bateu na tecla da inexperiência de Zema para a administração pública e citou vídeos de falas controversas do empresário – aproveitou, também, para se posicionar a respeito das acusações que vem recebendo de disseminar fake news. “No primeiro turno, ele [Zema] praticamente não apresentou nenhuma proposta. Além disso, ninguém conhecia seu perfil e o segundo turno é o momento de conhecer. São propostas completamente fora da realidade, não só de Minas, mas do Brasil. É um partido ultraliberal, fora da realidade, pode ser que funcione na Suíça, em Dubai, mas aqui não”, criticou.

Além disso, Anastasia ainda criticou o programa de governo de seu oponente. “Me acusam de estar fazendo isso ou aquilo, mas o que estou fazendo é pegar as entrevistas dele e colocar para as pessoas conhecerem. Mostrar o seu programa de governo, que ele tirou do ar e eu coloquei de novo”, completou.

Julvan Lacerda (MDB), prefeito da cidade de Moema e presidente da AMM (Letícia Vianna/BHAZ)

O encontro foi mediado por Julvan Lacerda e a dinâmica era diferente dos debates televisivos. A ideia era que fossem feitas perguntas produzidas pela comissão técnica da associação e pelos próprios prefeitos para que os candidatos respondessem. O intuito era que estes apresentassem suas propostas, sobretudo a respeito da regularização dos repasses de verba para os municípios, sem espaço para confronto direto entre os candidatos.

Em virtude das circunstâncias, apenas Anastasia apresentou propostas. Inicialmente, o tucano ressaltou a importância do apoio mútuo e boa relação entre as prefeituras e o governo estadual. “Com a Constituição de 1988, os municípios são a ponta da lança da prestação dos serviços públicos”, disse. Em seguida, disse sobre assuntos como repasse de impostos estaduais para os municípios, propostas para a saúde, o transporte escolar, a criminalidade. Insistiu bastante na “regularização do fluxo de caixa” do Estado, salientando que não há a intenção de um “governo extraordinário, mas para colocar a casa em ordem”.

Rodrigo Salgado

Repórter do Portal Bhaz.