Filhos de Cid Moreira acusam madrasta de maus-tratos contra o pai e entram com ação na Justiça

Cid Moreira e esposa Fatima
Para os irmãos, esposa comete estelionato senil, isto é, apropriação indevida de bens do idoso (Reprodução/@ocidmoreira/Instagram)

Mais um capítulo da briga dos filhos do jornalista Cid Moreira, de 93 anos, com a família. Depois de Roger Felipe Naumtchyk Moreira, 45, dizer que o pai o “deserdou”, e Rodrigo Radenzev Simões Moreira, 52, acusar Cid de abandono afetivo, os irmãos agora denunciam a madrasta Fátima Sampaio, de 58 anos. Segundo os dois, a atual esposa se apropria dos bens do marido, mantém o ex-apresentador em cárcere privado, grita e serve comida estragada para ele. As informações são do UOL.

Nessa terça-feira (20), os irmãos protocolaram uma ação de interdição contra o pai na Vara de Família e Registro Civil da Comarca de Petrópolis, no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A interdição se trata de uma medida judicial que tem por finalidade alegar a incapacidade, absoluta ou relativa, de uma pessoa. Alega-se, então, que o indivíduo não consegue exercer atos específicos, como gerenciar as próprias finanças. Na solicitação, o filho adotivo Roger pede para ser o curador do pai.

Para os filhos de Cid, a madrasta deve ser presa preventivamente por considerarem que ela se apropriou dos bens do marido. No processo, eles acusam a parceira do jornalista de “depenar” o pai, apropriando-se de seus imóveis, “salários, ganhos e direitos autorais”.

Os irmãos Moreira fazem acusações sérias contra Fátima. “O interditado é muito famoso e muito querido, mas desde que se juntou com a mulher, a mesma fez de tudo para separar o idoso dos filhos, dos advogados que sempre o acompanharam, dos amigos e dos parentes. E, aproveitando-se da sequência de demência que começou a se instalar, a passar tudo que o Cid tinha para ela”, alegam nos autos.

Agressões

Os irmãos lembram da situação financeira da madrasta antes do casamento. “O idoso está tecnicamente nas mãos da mulher, que anteriormente era free lancer de revistas, morava numa quitinete em Fortaleza, não tinha nada, nem carro, vivia de pequenas matérias que tentava vender. Sua passagem na vida antes de conhecer o Cid não era das melhores. E notava-se que o interesse dela para com Cid era textualmente econômica”, consta no processo.

Nas declarações, há ainda alegações de violência contra o idoso. “Tem-se notícias que a mesma agride o idoso, deixa sem medicação, comida vencida ou estragada por 15 dias em pleno cárcere privado, e o pior, sem sua presença. Ela some, para fazer compras e se enturmar com amigos”, acusam.

Os irmão falam de supostas traições da cônjuge e envio de dinheiro para supostos amantes. “Basta dizer que as traições ao idoso vêm de longe, na época em que se conheceram teve casos extraconjugais com o professor de inglês, com o personal trainer, o cabeleireiro e ouve-se que na atualidade tem amigos, mais que amigos, a quem repassa bens e valores”, indicam na ação.

“Ela deixa o idoso em cárcere privado, sem a presença de familiares e amigos, e grita e berra”, escreveram no processo. Os irmãos desconfiam que a madrasta não age sozinha e que o confisco de bens se trata de algo maior. “Tudo com o objetivo de perpetrar seus instintos malévolos, juntamente, com uma quadrilha, seus ficantes, seus amásios, seus parentes, seus rábulas”, alega a defesa.

Testemunha

Roger e Rodrigo citam uma possível testemunha, a apresentadora do Melhor da Tarde, da Band, Catia Fonseca. Os filhos pedem para que a mulher seja ouvida pela Justiça, já que admitiu, em rede nacional, o poder que Fátima exerce sobre o marido. O solicitantes se referem a um episódio na última quinta-feira (15), em que Catia declarou no programa que encontrou o colega de profissão há dois anos em um evento e notou algo peculiar na relação com a cônjuge.

“A Fátima, de fato, cuida dele. Separando as situações, não estou dizendo nada diretamente. Mas ela zela por ele muito bem. Mas ao mesmo tempo, eu via que ele perguntava tudo para ela: ‘a gente pode fazer uma foto?’ ou ‘posso tomar água?’. Às vezes, cria-se uma dependência emocional”, relatou, na semana passada.

O que dizem os envolvidos?

O Notícias da TV, do Uol, procurou a assessoria de imprensa de Catia para comentar sobre o caso. Por meio da assessoria, a apresentadora disse não tinha conhecimento de ter sido registrada como testemunha no processo.

A reportagem também contatou a esposa Fátima, para comentar as acusações. Um representante do jornalista disse que o casal não irá se manifestar, pois “não foram notificados”.

Edição: Roberth Costa

Comentários