Governo de Minas anuncia pagamento integral aos servidores a partir de agosto

cidade-administrativa
Governo de Minas Gerais fez anúncio nesta sexta-feira (Amanda Dias/BHAZ)

O Governo de Minas Gerais anunciou, nesta sexta-feira (16), o fim do parcelamento dos salários dos servidores estaduais. Desde 2016, os trabalhadores do Executivo recebiam de forma parcelada. Os vencimentos passarão a ser depositados de maneira integral no quinto dia útil de cada mês. A nova medida entrará em vigor em agosto, quando os profissionais receberão a quantia referente à julho.

Os servidores estaduais vinham recebendo seus salários de forma parcelada há cinco anos e meio, por conta de uma medida emergencial durante o governo de Fernando Pimentel (PT). Agora, com a venda da folha de pagamento do Estado concretizada também nesta sexta-feira, o governo mineiro será capaz de pagar os salários integralmente.

O banco Itaú é o responsável pela compra da folha, feita por meio de um pregão – modalidade de licitação que tem como característica a agilidade e a economia para a administração pública. A agência ofereceu R$ 2,42 bilhões, 18% a mais do lance mínimo de R$ 2,052 bilhões exigido pelo Estado para fechar o negócio. 

Parcelamento incomodava Zema

Romeu Zema (Novo), governador de Minas, disse estar satisfeito com a medida pois, conforme dito por ele, o pagamento parcelado lhe incomodava. “O parcelamento de salários era uma situação que me incomodava muito e estou muito feliz de conseguir cumprir uma das principais metas do meu governo”.

“Felizmente, graças ao empenho do nosso governo em resolver a situação, ao aumento das receitas do Estado e também à venda da folha, que aconteceu hoje, teremos condições de voltar à normalidade, no que diz respeito ao pagamento dos salários”, acrescentou.

Ativos, inativos e pensionistas

Segundo o secretário de Estado de Fazenda, Gustavo Barbosa, o fim do parcelamento atinge todos os servidores estaduais, sendo os ativos, inativos e pensionistas. O secretário também comentou sobre os esforços do governo em relação à nova medida:

“Primeiro, conseguimos garantir a previsibilidade ao diminuir o número de parcelas de três para duas, sempre pagando na data divulgada, sem atraso. Agora, com os recursos obtidos com a venda da folha de pagamento do Estado, teremos plenas condições de garantir que os servidores recebam os seus salários integralmente”.

Com Agência Minas

Andreza Miranda
Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários