Governo de Minas abre processo seletivo com 252 vagas para brigadistas

brigadista-incêndio
Os brigadistas contratados trabalharão de forma temporária, podendo haver prorrogação (Divulgação/Governo de Minas)

O Governo de Minas, por meio do IEF (Instituto Estadual de Florestas), abriu um processo seletivo para a contratação temporária de brigadistas. São 252 vagas para atuar prevenindo e combatendo incêndios em unidades de conservação do estado. As inscrições vão do dia 30 de junho ao dia 13 de julho.

O período de contratação dos profissionais será de 100 dias, entretanto, está sujeito à prorrogação conforme interesse da administração pública. O selecionado irá cumprir uma carga horária de 40 horas semanais, e o salário mensal é no valor de R$ 1.100. Além do salário, haverá um adicional de periculosidade de R$ 300, auxílio-alimentação de R$ 47 e auxílio-transporte de R$ 9 por dia trabalhado.

As inscrições são gratuitas e realizadas no site do IEF, através da página “Processo Seletivo Brigadistas 2021“. Os candidatos deverão ter entre 18 e 59 anos completos até a data de inscrição. Além disso, devem ser brasileiros e estarem com as obrigações eleitorais e militares em dia e cumprir todos os requisitos do edital (acesse aqui).

Início previsto para agosto

Todo o processo seletivo terá sua realização em três etapas, sendo elas inscrições/análise curricular, comprovação documental e teste de aptidão física. Os resultados parciais e finais de cada etapa terão sua divulgação feita no site do IEF. O início do trabalho dos contratados está previsto para o dia 10 de agosto.

Segundo o gerente de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais do IEF, Rodrigo Belo, a contratação dos brigadistas é indispensável para aumentar a capacidade do estado mineiro no enfrentamento ao período crítico de incêndios. Tal período se intensifica a partir de junho, e atinge o pico de ocorrências nos meses de setembro e outubro.

“Os profissionais serão distribuídos nas unidades de conservação, de acordo com o planejamento elaborado a partir de critérios como os registros históricos de ocorrência e conforme a vulnerabilidade das unidades”, explicou Rodrigo.

Outras atividades a desempenhar

Além do combate aos incêndios, os brigadistas também desempenharão ações de sensibilização e orientação junto a produtores rurais, frequentadores e moradores das zonas de amortecimento das unidades de conservação. O tema das ações serão os efeitos provocados pelas queimadas, apresentando alternativas ao uso do fogo na produção agrícola.

Ademais, os contratados farão outras atividades, como rondas preventivas, apoio em queimas controladas autorizadas, abertura e manutenção de aceiros – faixas de terra nas quais a vegetação é retirada de forma a evitar que os incêndios se propaguem. A manutenção da conservação dos equipamentos e instalações utilizados nas ações de prevenção e combate também são outras funções a serem desempenhadas.

Edição: Roberth Costa
Andreza Miranda
Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários