Kalil eleva tom e critica empresários após chuva: ‘Chegou na casa deles, no bairro chique e luxuoso’

Maira Monteiro/BHAZ + Lucas Pedroso/Arquivo pessoal + PBH/Divulgação

O prefeito Alexandre Kalil (PSD) criticou empresários de Belo Horizonte durante entrevista coletiva sobre as chuvas, no início da tarde desta quarta-feira (29). Ele aproveitou a oportunidade para falar também a respeito do novo Plano Diretor da cidade. Nas redes sociais, moradores da capital demonstraram apoiar o que disse o prefeito. A região mais castigada foi a Centro-Sul, com 183,3 milímetros de chuva em três horas.

+ Kalil promete reconstrução de BH: ‘Deus deu o frio conforme o cobertor’

O bairro de Lourdes, que possui um dos metros quadrados mais caros de Belo Horizonte, foi um dos que mais sofreu. A legislação do Plano Diretor, segundo Kalil, pensa em questões ambientais, diferentemente da “ganância” dos empresários.

“Eu quero deixar uma coisa muito clara: esse Plano Diretor, que foi tão massacrado por esses empresários gananciosos dessa cidade, está aí a resposta para eles. Eles não queriam um Plano Diretor que cuidasse do meio ambiente. A resposta chegou na casa deles, no bairro chique e luxuoso de Belo Horizonte”, disse o governante.

https://youtu.be/c8IhlPLbjBU?t=640

A reação nas redes sociais foi imediata. Muitas pessoas apoiaram o político e reforçaram a crítica aos empresários. Além disso, também afirmaram que o prefeito terá trabalho agora que a chuva atingiu “bairros ricos”.

https://twitter.com/arthurhfs/status/1222601820511645697

Chuva histórica

Belo Horizonte já registrou o mês mais chuvoso da história – antes mesmo da conclusão dos 31 dias – na manhã desta quarta-feira (29), com um acumulado de 932,3 mm (milímetros). Os dados são do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) e a quantidade de água neste janeiro pode aumentar ainda mais, já que a Defesa Civil prevê uma chuva de até 70 milímetros, entre hoje e a manhã desta quinta-feira (30).

+ BH registra o mês mais chuvoso da história; Zona Sul recebe quase o triplo do previsto

Anteriormente, o mês mais chuvoso da história foi janeiro de 1985, quando choveram 850 milímetros. Somente nas últimas 24 horas, choveram 117,4 milímetros.

As regiões que mais choveram neste mês, até esta quarta, foram a Centro-Sul (956,8 mm) e Oeste (959 mm). A média esperada para todo o mês de janeiro era de 329,1 milímetros. Ou seja, já choveu nessas áreas quase o triplo do esperado para os 31 dias.

Mais chuva

Segundo o Inmet, a causa das chuvas intensas é pelo fato de estarmos com influência da zona de convergência do Atlântico Sul, pela segunda vez no mês. Já para esta quinta e sexta-feira, não estaremos mais com influência desse fenômeno, e as chuvas estarão associadas ao calor e alta umidade – e devem ser moderadas.

Para o início de fevereiro, o Inmet afirma que a chuva não dará trégua. Chega uma nova frente fria no Sudeste, que deve causar mais chuvas intensas no fim de semana.

Cuidados

Para evitar tragédias, a Defesa Civil orienta que motoristas e pedestres não circulem por áreas em que há risco de alagamentos e enchentes. Também recomendam que procurem lugares seguros para se abrir e não saiam de casa em caso de chuva forte. Confira outras recomendações:

  • Não atravesse ruas alagadas ou deixe crianças brincando na enxurrada e nas águas dos córregos.
  • Não se abrigue nem estacione veículos debaixo de árvores.
  • Atenção especial em áreas de encostas e morros.
  • Jamais se aproxime de cabos elétricos rompidos. Ligue imediatamente para CEMIG (116) ou Defesa Civil (199).
  • Se você observar o aparecimento de fendas, depressões no terreno, rachaduras nas paredes das casas e o surgimento de minas d’água avise imediatamente a Defesa Civil (199).
  • Em caso de raios: não permaneça em áreas abertas e altas, não use equipamentos elétricos.
Vitor Fernandes
Vitor Fernandesvitor.fernandes@bhaz.com.br

Editor e repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva do Portal UOL. Com reportagens vencedoras nos prêmios CDL (2018 e 2019) e Sindibel (2019).