Mineirão cria canal para receber denúncias de racismo e injúria racial

@mineirao/Instagram/Reprodução

Os casos de racismo no futebol têm recebido mais visibilidade no decorrer dos últimos meses, incluindo um episódio dentro do Mineirão. No Dia da Consciência Negra, comemorado nesta quarta-feira (20), o estádio divulgou uma campanha contra o preconceito racial e lançou um canal que receberá denúncias de racismo e injúria.

+ Impunidade e omissão: Os desafios da luta contra o racismo no futebol

A partir do jogo entre Atlético e Athletico-PR, no próximo domingo (24), qualquer pessoa que sofra ou presencie crimes de racismo ou injúria racial no Mineirão poderá fazer uma denúncia pelo e-mail racismonao@estadiomineirao.com.br. Segundo a administração do estádio, os casos relatados serão encaminhados aos órgãos competentes para que seja feita uma investigação.

Em uma campanha pelo Dia da Consciência Negra, o Mineirão divulgou nas redes sociais dados sobre racismo no futebol, finalizando com o anúncio do canal para denúncias.

Racismo no Mineirão

O estádio foi, há pouco tempo, palco de um episódio de racismo que repercutiu por todo o Brasil. No clássico Atlético e Cruzeiro, no dia 10 de novembro, um torcedor atleticano gritou uma ofensa racista contra Fábio Coutinho, segurança do estádio.

+ Ofensa racista! Segurança do Mineirão é xingado por torcedor do Atlético: ‘Olha sua cor’

Dois dias depois, na terça-feira (12), o Atlético anunciou o desligamento dos torcedores envolvidos do programa de sócio-torcedor Galo na Veia. No mesmo dia, o clube lançou a campanha “Do preto e do branco”, em alusão ao mês da Consciência Negra.

Na quarta-feira (13), o gestor de futebol do Cruzeiro, Zezé Perrella, fez um manifesto pelo fim do racismo. Um dia depois, o time lançou a campanha “Cartão vermelho para o racismo”. A OAB-MG (Ordem dos Advogados do Brasil – Minas Gerais) se uniu à campanha e promoverá palestras para atletas da base do clube.

A diferença entre racismo e injúria racial

A injúria racial consiste em ofender a honra de alguém valendo-se de elementos referentes à cor, etnia, religião ou origem. A pena é de um a três anos de prisão, além de multa.

Já o racismo atinge uma coletividade indeterminada de indivíduos, discriminando toda a integralidade de uma raça. A pena é de prisão e pode ser de um a cinco anos, dependendo da gravidade do caso. Ao contrário da injúria racial, o crime de racismo é inafiançável e imprescritível.

Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.