Morre Roberta Silva, mulher trans que teve 40% do corpo queimado

hospital-da-restauração
Roberta Silva estava internada no Hospital da Restauração, em Recife (Reprodução/StreetView)

Morreu na manhã desta sexta-feira (9) Roberta Silva, a mulher trans que teve 40% do corpo queimado num ataque causado por um adolescente, no último dia 24, em Recife (PE). Ela teve agravamento do quadro respiratório e da função renal, o que levou ao óbito. Roberta vivia em situação de rua e estava internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital da Restauração, também em Recife.

O hospital confirmou a morte de Roberta Silva ao BHAZ. Segundo a unidade de saúde, após terem amputado um dos braços da vítima, os médicos tiveram que amputar uma parte do outro braço, um pouco acima do cotovelo, por conta dos ferimentos. Depois disso, ela voltou para a enfermaria de queimados e lá respirava sem a ajuda de aparelhos.

Roberta apresenta piora

No início desta semana, o quadro de Roberta se agravou e ela teve que ser intubada na UTI do hospital. A mulher apresentou problemas respiratórios, o que é comum em pessoas gravemente queimadas, conforme as informações dadas pela unidade de saúde.

Dois dias depois, a função renal de Roberta também apresentou agravamento, o que levou ao seu óbito nesta manhã, às 9h. Os médicos fizeram todos os procedimentos possíveis de reanimação da vítima, mas infelizmente ela não respondeu. A mãe da mulher compareceu ao Hospital da Restauração para resolver as questões do falecimento.

O caso de Roberta

Roberta Silva havia sido atacada por um adolescente de 17 anos, na madrugada do dia 24 de junho. Conforme relatado por testemunhas, a mulher estava em um barraco de lona com o jovem quando ele ateou fogo nela. Ele teria tentado fugir na sequência, mas foi apreendido depois (relembre aqui).

Segundo apurado pela Polícia Civil, o adolescente jogou álcool no corpo de Roberta para atear o fogo com a intenção de matá-la. As chamas se alastraram na vítima, causando queimaduras graves no abdômen, no tórax, nos braços e em uma das pernas.

A vítima recebeu atendimento do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que a levou para o Hospital da Restauração, especializado no tratamento de queimaduras. Lá, ela teve, inicialmente, um dos braços amputados por conta de uma necrose.

Após ser identificado pela polícia, o MP (Ministério Público) encaminhou o jovem para a Unidade de Atendimento Inicial, da Secretaria de Criança e Juventude. Esse é o lugar para onde são levados os adolescentes envolvidos em crimes. O humorista Whindersson Nunes se sensibilizou com o caso e chegou a mandar flores para Roberta.

Edição: Roberth Costa
Andreza Miranda
Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários