Algoritmo prevê se uma pessoa vai morrer em 4 anos, com 78% de precisão

algoritmo prevê morrer
Algoritmo foi desenvolvido na Dinamarca (Freepik/Divulgação)

Pesquisadores da Universidade Técnica da Dinamarca desenvolveram um algoritmo de inteligência artificial chamado “life2vec”, capaz de prever quando uma pessoa vai morrer com base em eventos relacionados à vida da pessoa, com uma precisão de cerca de 78%. O estudo foi publicado na revista Nature Computational Science.

Utilizando dados de mais de seis milhões de dinamarqueses entre 2008 e 2016, o modelo mapeou diversos aspectos da vida, incluindo renda, profissão e eventos específicos. Com técnicas de processamento de linguagem, os cientistas geraram um vocabulário para que o algoritmo pudesse interpretar esses eventos de vida.

O life2vec aprendeu com esses dados, possibilitando prever pensamentos, sentimentos e comportamentos, além de saber quando a pessoa iria morrer. A análise focou em pessoas de 35 a 65 anos, considerando a dificuldade em prever a mortalidade nessa faixa etária.

Os pesquisadores separaram um grupo de 100 mil pessoas, das quais metade já tinha morrido e metade, não. O algoritimo não sabia quem havia morrido, no entanto, a partir da análise dos dados fornecidos, o life2vec conseguiu acertar quem morreu, durante um período de quatro anos, em 78% das vezes. Fatores como sexo, saúde mental e status socioeconômico influenciaram as previsões.

Os pesquisadores estão explorando formas de compartilhar resultados mantendo a privacidade, e mesmo quando disponível ao público, as leis de privacidade dinamarquesas proibiriam usos invasivos, como em decisões de seguro ou contratação.

Edição: Roberth Costa
Amanda Serrano[email protected]

Foi estagiária do Jornal Estado de Minas e da TV Band Minas. Também trabalhou na assessoria política. Atualmente é estagiária do Portal BHAZ.

SIGA O BHAZ NO INSTAGRAM!

O BHAZ está com uma conta nova no Instagram.

Vem seguir a gente e saber tudo o que rola em BH!