Salve o Bar do Rosa! Point queridinho dos alunos da PUC fecha as portas e dono pede ajuda

bar do rosa
Além de enfrentar problemas financeiros, o comerciante acabou sendo diagnosticado com depressão profunda e síndrome do pânico (Reprodução/@AnaFlavia5/Twitter)

Notícia nada boa para quem era fã do Bar do Rosa, point queridinho dos alunos da PUC Minas no Coração Eucarístico. O espaço não só fechou as portas por causa das limitações impostas pela pandemia, como também acabou impactando negativamente o Careca – apelido carinhoso do dono do local. Agora, ele e a família, que tinham no saudoso Rosa a única fonte de renda, precisam de ajuda para sobreviver (saiba como ajudar abaixo).

Além do acúmulo de dívidas, que têm tirado o sono de toda a família, o dono do bar localizado na região Noroeste da capital foi diagnosticado com depressão profunda e síndrome do pânico. As doenças foram agravadas pela dor de ter visto seu negócio em ruínas. Com o objetivo de ajudar Careca a se reestabelecer, foi criada uma campanha de contribuição online.

“Sem o bar, esposa desempregada, filha mais nova grávida e muitas dívidas, hoje a única solução é contar com a ajuda de quem viveu e sabe o quão especial o Rosa é na história dos alunos da PUC e de quem adorava um evento universitário”, diz um trecho da vaquinha.

‘Saúde completamente abalada’

Pelo Instagram, o perfil do estabelecimento comunicou com muita tristeza a situação vivida pelos donos. A história mobilizou principalmente os alunos e ex-alunos da PUC após ser compartilhada pela página @belohorizontemg no Instagram.

“Sem a fonte de renda responsável por pagar as contas da casa e do bar, sem dinheiro pra manter a família, com alugueis e pagamentos de funcionários em atraso, começaram os processos trabalhistas e fiscais”, diz a legenda de uma das publicações.

“Isso resultou em uma depressão profunda (por enquanto sem tratamento por falta de recursos), perda grande de peso, saúde completamente abalada, olhar triste, andar cabisbaixo, tudo isso decorrente do anúncio de falência do bar e, com sua filha de 16 anos grávida e esposa desempregada, ele se viu no fundo do poço”, acrescenta.

Hoje, Careca trabalha ao lado do filho mais velho em um restaurante da capital, que também sofre com os reflexos da pandemia. A renda semanal dos dois, com a venda diária de almoços, é de apenas R$100.

“Honestamente, hoje o principal problema é financeiro. Assim sendo, a melhor ideia até então foi a de fazer uma rifa para que se possa levantar fundos e começar a sanar dívidas, colocar contas atrasadas em dia e sair um pouco dessa situação”, diz outro trecho da publicação.

Vamos ajudar?

A rifa criada para ajudar o Careca e sua família pretende arrecadar o valor de R$100 mil. Quem quiser doar, pode contribuir com qualquer valor pelo do link da vaquinha e informar um telefone para contato.

Ao final da campanha, serão sorteados os itens abaixo:

  • 1 copo Stanley; 
  • 3 caixas de cerveja Verace;
  • 1 caixa de Xeque Mate;
  • Kit churrasco para cinco pessoas;
  • 4 entradas + R$ 200 de consumo na Major Lock;
  • R$ 300 em roupas;
  • Maquiagem + sobrancelha;
  • 2 pares do show “Belo O Dia”, dia 06 de novembro.
Edição: Giovanna Fávero
Larissa Reis
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários