Cartunista Nani morre em Belo Horizonte aos 70 anos vítima de Covid-19

Nani
Nani nasceu na Grande BH e se destacou pelo país (EBC/Divulgação/ND)

O cartunista Nani morreu em Belo Horizonte aos 70 anos, nesta sexta-feira (8), de Covid-19. O humorista é natural de Esmeraldas, na Grande BH, iniciou sua carreira na capital mineira e colaborou com O Pasquim, O Globo, Jornal dos Sports, Última Hora e O Dia, quando se mudou para o Rio de Janeiro (RJ). As informações foram repassadas pela família ao G1.

Nani deixa dois filhos, Juliano e Danilo, uma neta, Manuela, e a esposa, Inez. Ainda de acordo com a família, o cartunista estava em isolamento em Esmeraldas desde o início deste ano, já que fazia parte do grupo de risco, mas foi infectado pelo novo coronavírus. Ele estava internado havia uma semana em Belo Horizonte.

História

Ernani Diniz Lucas nasceu em 27 de fevereiro de 1951 e é o criador da tira Vereda Tropical – publicada por vários jornais brasileiros na década de 1980. Começou a carreira de cartunista aos 20 anos, na capital mineira, e se mudou dois anos mais tarde para o Rio de Janeiro (RJ). O mineiro também foi escritor e roteirista dos programas humorísticos de Chico Anysio na Rede Globo.

Nani também é autor de vários livros, como “Humor Politicamente Incorreto”, “Juízo Final”, “É Grave, Doutor?”, “Não é Só Você Quem Quer Matar o Governador”, “Feliz e Orgulhoso, Envaidecido Mesmo”, “Foi Bom pra Você?” e “Humor de Bar”. O mais recente, “Tem outra palavra na palavra”, foi lançado em 31 de agosto deste ano. Nani publicava no site Nani Humor e a última postagem foi no último dia 23 de setembro.

Repercussão

A morte do cartunista repercutiu entre amigos e famosos. O artista Allan Sieber lamentou a morte do humorista pelo novo coronavírus: “Nani, o homem que já desenhou TODOS cartuns possíveis, se foi, vítima da maldita Covid. Tive o prazer e a honra de trabalhar com ele. Quantas historias absurdamente engraçadas ele tinha!! Um abraço em toda a família”.

O cartunista Adão Iturrusgarai, da Folha de São Paulo, postou uma foto com o mineiro em uma mesa de bar. “Acabo de ficar sabendo que o cartunista Nani morreu de Covid. Gente boa, prolífico, dono de um traço da mesma escola do Wolinski. Há poucos dias conversei com ele e comentei que foi assunto de um papo meu com o Jaca, que também o admira muito. Vá em paz, amigo”, escreveu.

Laerte, mais um companheiro de profissão, também deixou um recado para o amigo. “Beijo, Nani. Obrigada por tanta graça que deixou pra gente”, agradeceu.

Edição: Vitor Fernandes

Comentários