Dilma vem a BH para aula inaugural de curso sobre o ‘golpe’; web dividida

Divulgação/Agência Brasil

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) participa, na noite desta terça-feira (7), da aula inaugural do curso que tem como tema o impeachment sofrido por ela, em 2016. O evento será a partir das 19h, na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). “O Impeachment de Dilma Rousseff como Golpe de Estado: Perspectivas jurídicas, filosóficas, políticas e históricas” terá 30 conferências com diversos professores da UFMG.

Ao Bhaz, o professor de Filosofia do Direito, Thomas Bustamante, contou que a ideia do curso surgiu a partir dos debates entre professores que concordavam com o impeachment e diziam que ele era legítimo. “Vamos tratar o assunto de uma maneira teórica, mostrando que há um grave problema de legitimidade”, disse o coordenador.

De acordo com o professor, a principal proposta é “evitar que um novo impeachment ocorra”. “Precisamos aprender com esse processo e refletir o que ele pode gerar”, afirmou. Para Bustamante , os países latinos americanos que passaram pela impugnação sofreram graves consequências nos âmbitos político e social. “Nenhum impeachment na América Latina, nos últimos 20 anos, tem uma base sólida”, ponderou.

O curso é uma disciplina optativa para alunos de Ciências de Estado e está disponível para a comunidade externa da universidade. “Hoje vamos apresentar o curso para o público para que eles conheçam a proposta acadêmica”, contou.

Apesar das 130 vagas disponíveis, Bustamante não acredita que todas serão preenchidas. “Esse curso é para aqueles que desejam aprofundar-se nos estudos. Serão realizados trabalhos e a frequência será exigida para aprovação”, acrescentou.

Críticas

Desde o surgimento da proposta do curso, críticas têm sido recebidas pelo professor. Porém, ele diz estar disposto a dialogar com aqueles que apresentarem “argumentos científicos e racionais”.

“Só recebo argumentos irônicos e piadas. Nesse tempo todo não chegou nenhuma crítica que não fosse ofensa. O  curso é idealizado por professores da UFMG, instituição plural e que tem, por exemplo, professores que defendem a intervenção militar”, ponderou, rebatendo as críticas.

Na web, internautas divergem entre apoio e rejeição ao curso sobre o impeachment de Dilma Rousseff.

Bustamente ainda destacou que os professores não têm vinculação partidária, inclusive ele. “Para você ter ideia, eu não sei em quem votar nestas eleições”, disse, afirmando não ser filiado a nenhuma legenda.

Ao término das aulas, um livro com um capítulo de cada um dos docentes será lançado.

Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas nos prêmios CDL (2018, 2019 e 2020), Sebrae (2021) e Claudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados (2021).