Estudos de medicamentos contra a Covid recrutam voluntários em BH

laboratório
Objetivo é minimizar os casos graves da doença por meio dos medicamentos (Gil Leonardi/Imprensa MG)

Um centro de pesquisas clínicas de Belo Horizonte está participando três estudos de medicamentos para o tratamento da Covid-19. Os antivirais orais, já em fase final de estudos, estão sendo analisados na Clínica Infection Control, localizada no bairro Prado, e têm o objetivo de evitar que a doença avance para um estado grave, funcionando como medicamentos existentes contra a gripe.

Segundo a enfermeira Joana Caporali, que trabalha no centro de pesquisas, os ensaios clínicos são realizados pelas farmacêutica Pfizer e Clene, ambas dos Estados Unidos. “Essas pesquisas são multicêntricas, ou seja, elas acontecem em vários países. Esses estudos, especificamente, estão na fase 2/3, em que são avaliadas a eficácia e segurança das medicações”, explica.

Os estudos avaliam a eficácia dos medicamentos no tratamento de adultos com sintomas da doença e que não tenham sido hospitalizados. Eles também poderão ser utilizados, caso aprovados, como preventivo por pessoas que tiveram o diagnóstico negativo, mas que residam num mesmo ambiente de pessoas positivas para a Covid-19.

Quem pode ser voluntário?

Para dar continuidade aos estudos, o Centro de Pesquisa Clínica Infection Control está recrutando voluntários para essa fase de testes. Os interessados em contribuir devem entrar em contato com a Infection Control pelo número (31) 98648-0244, para mais informações. Confira abaixo os requisitos:

  • Ter mais de 18 anos de idade;
  • Ter diagnóstico de Covid-19 positivo, com o início dos sintomas dentro de 5 dias antes;
  • Participantes assintomáticos que tiveram resultado negativo no teste rápido e que moram na mesma casa de um indivíduo que é sintomático e recentemente testou positivo para o coronavírus (para serem incluídos no estudo, os participantes devem estar no período de 24 horas após o resultado negativo no teste rápido e 96 horas após o teste positivo do residente);
  • Participantes que estejam dispostos e forem capazes de cumprir todas as visitas programadas, o plano de tratamento, os exames laboratoriais, as considerações sobre o estilo de vida e outros procedimentos do ensaio.
Edição: Giovanna Fávero
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog.

Comentários