Faixas denunciam envenenamento de mais de 40 cães e gatos em Belo Horizonte

Envenenamento animais Belo Horizonte
Segundo relatos de moradores, cerca de 40 animais morreram envenenados entre maio e agosto (Arquivo pessoal)

Moradores dos bairros Calafate e Prado, em Belo Horizonte, se uniram para denunciar a morte de animais por envenenamento na região. O grupo espalhou, na tarde desta segunda-feira (28), faixas que pedem a punição dos responsáveis pelas mortes de, ao menos, 42 cães e gatos. O caso é investigado pela Polícia Civil.

Segundo relatos de moradores, entre maio e agosto deste ano cerca de 40 gatos e dois cachorros morreram após ingerir substâncias tóxicas.

Ao BHAZ, Graça Leal, moradora do bairro Calafate e responsável pela manifestação, afirmou que a decisão de levantar a faixas veio depois que a comunidade encontrou quilos de carne envenenada espalhados pelos bairros. Segundo ela, foram colocadas quatro faixas nas principais praças do Prado e Calafate.

“Uma senhora que alimenta os animais há anos aqui na região encontrou a carne envenenada. Eles deixaram os pedaços nos locais em que ela coloca ração para os animais abandonados”, conta a aposentada de 74 anos.

(Arquivo pessoal)

Animais de rua

Graça, que é envolvida em causas animais desde 2015, explica que a região onde vive é habitada por muitos animais de rua. A maioria são gatos abandonados. “Muita gente fica incomodada, porque os animais urinam e defecam nas ruas”, diz.

Para ela, essa pode ser a principal motivação por trás de quem envenenou os cães e gatos. “Só que as pessoas precisam entender que matar não é a solução. Precisamos que os moradores se unam para conseguir a castração e colocar os animais para adoção”, diz.

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) informou, por meio de nota, que uma equipe já esteve no local e orientou os moradores da região sobre guarda responsável de animais, prevenção de zoonoses e também sobre maus-tratos.

Além de espalhar as faixas, a Graça pregou cartazes pelas ruas, alertando que o crime de maus-tratos tem pena de 2 a 5 anos de reclusão. A idosa também levou a denúncia à Polícia Militar.

(Arquivo pessoal)

Graça espera que a iniciativa seja um passo na direção da conscientização sobre direitos dos animais. “Estou em contato com a secretaria da Zoonoses e espero que eles possam nos ajudar com a castração. A comunidade precisa assumir essa cooperação, esse trabalho para proteger os animais”, pontua.

Nota da Polícia Civil na íntegra

“A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informa que constam apurações no Departamento Estadual de Investigação de Crimes Contra o Meio Ambiente – DEMA referentes a possíveis envenenamentos em massa de animais comunitários. Importante notar que tal conduta representa o crime contido no art. 32, §1º-A, Lei nº 9.605/1998, com penas de 2 a 5 anos de reclusão. Oportunamente, vale pontuar que a segurança pública é dever do estado e direito e responsabilidade de todos. Assim, a comunidade presta importante papel na identificação dos agressores e toda informação nesse sentido deve ser repassada à PCMG para a devida responsabilização penal”.

Nota da PBH na íntegra

A Prefeitura de Belo Horizonte informa que uma equipe já esteve no local e orientou os moradores da região sobre guarda responsável de animais, prevenção de zoonoses e também sobre maus-tratos. O município desenvolve políticas, em várias frentes, para evitar o abandono, o tratamento inadequado e as doenças transmitidas por animais.

Além disso, o Centro de Controle de Zoonoses realiza, exclusivamente, o recolhimento de cães e gatos soltos nas vias públicas sem tutores próximos. Todos os animais que chegam à unidade passam por uma consulta com veterinário. Caso necessário, é iniciado tratamento adequado e é feita vermifugação, vacina contra a raiva e controle de ectoendoparasitas.

Esses animais aguardam o período de dois dias após a captura para serem resgatados pelos tutores. Expirado o prazo, eles são disponibilizados para adoção nas dependências do Centro de Controle de Zoonoses, de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 16h30. Para adotar, é necessário ser maior de idade, apresentar carteira de identidade e comprovante de endereço. Os animais adotados, com idade superior a 4 meses, saem castrados e microchipados. Filhotes abaixo de 4 meses saem com a castração garantida.

O município conta ainda com seis Centros de Esterilização de Cães e Gatos e são abertas, mensalmente, vagas para realização das cirurgias de castração. A marcação é feita no portal da Prefeitura e as vagas são abertas no final do mês anterior às cirurgias.

É importante ressaltar ainda que o abandono e maus tratos de animais é crime e deve ser denunciado à Delegacia Especializada de Investigação de Crimes Contra a Fauna de Minas Gerais.

Edição: Roberth Costa
Isabella Guasti[email protected]

Jornalista graduada pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022 e também de reportagem premiada pelo Sebrae Minas em 2023.

SIGA O BHAZ NO INSTAGRAM!

O BHAZ está com uma conta nova no Instagram.

Vem seguir a gente e saber tudo o que rola em BH!