Homem confessa ter matado e ocultado o corpo da amante e é preso na Grande BH

viatura da PCMG
À Polícia Civil, o homem confessou ter matado a mulher asfixiada (Amanda Dias/BHAZ)

Um homem de 53 anos foi preso preventivamente nessa quinta-feira (26) suspeito de matar e ocultar o corpo de uma mulher, de 42, com quem mantinha um relacionamento extraconjugal. O crime ocorreu em Santa Luzia, na Grande BH, mas o corpo da vítima foi localizado na última quarta-feira (25) em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha.

As investigações começaram depois da denúncia de desaparecimento da vítima, no dia 14 de agosto. As suspeitas logo recaíram sobre o homem, que há quatro anos se relacionava com a mulher. Familiares relataram à época que ele teria sido o último a ver a desaparecida e que, por isso, teriam até entrado em contato com parentes dele.

Já nessa segunda-feira (23), a família do investigado suspeitou que ele também teria desaparecido. No entanto, dois dias depois, ele se apresentou à Delegacia Regional de Polícia Civil em Diamantina e confessou ter matado a amante asfixiada.

Causas do crime estão em investigação

Após o depoimento do homem, as buscas pelo corpo da vítima começaram. “O cadáver foi encontrado, com apoio do Corpo de Bombeiros, em uma região de difícil acesso, de mata fechada e brejo, já em decomposição”, revela a delegada Adriana das Neves Rosa, que comandou a investigação.

O suspeito foi autuado em flagrante por ocultação de cadáver e encaminhado à Santa Luzia, onde teve mandado de prisão preventiva cumprido também pelo assassinato. Mesmo com a confissão, as investigações ainda não foram concluídas, já que há algumas contradições nas informações apresentadas pelo homem.

“Ele alega que a vítima o pressionava a se separar da esposa, sob a ameaça de revelar o caso para ela. Contudo, temos informações de que o suspeito já estaria separado desde maio, quando houve também registro de agressões dele contra a esposa e a filha, momento em que se aproximou mais da vítima”, conta Adriana.

Ainda segundo a delegada, o homem possui dois registros de violência doméstica contra a esposa e a própria filha. Um deles resultou na prisão em flagrante do investigado, que foi solto poucos dias depois.

Agora, a Polícia Civil aguarda a conclusão do laudo de necropsia e realiza outros levantamentos para a finalização do inquérito policial do homicídio.

Com PCMG

Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog.

Comentários