Covid em BH: Indicadores ficam na ‘corda bamba’, mas se mantêm em nível de baixo risco

covid bh
Desde segunda-feira (18), a transmissão do vírus e a ocupação de leitos sofreram pequenas oscilações dentro do nível de baixo risco (Amanda Dias/BHAZ)

Os três indicadores que monitoram a Covid-19 em Belo Horizonte fecharam mais uma semana no nível verde. Desde segunda-feira (18), a transmissão do vírus na cidade e a ocupação de leitos sofreram pequenas oscilações dentro do limite estabelecido como de baixo risco.

De acordo com o Boletim Epidemiológico da PBH (Prefeitura de Belo Horizonte), divulgado na tarde de hoje (22), o fator Rt – número médio de transmissão por infectado – está em 0,94. Na quinta-feira (21), o número estava em 0,98 – quase no limite de alerta, que é acima de 1.

A taxa de ocupação das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva), por outro lado, encerra a semana em um cenário menos tranquilo. De acordo com o balanço, BH tem ocupados 48% dos leitos destinados a pacientes graves da Covid, estando perto de atingir o nível amarelo – considerado de risco moderado. No início da semana, a ocupação estava em 42%.

Já a ocupação das enfermarias se manteve praticamente estável nos últimos dias. A publicação mais recente mostra que o número subiu de 38,8% para 39,1% de segunda-feira até hoje.

Boletim Epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (Reprodução/PBH)

Ainda de acordo com o boletim de hoje, Belo Horizonte soma 287.367 casos confirmados da Covid-19 e 6.863 óbitos. O número de mortes é menor do que o contabilizado ontem (21) – 6.876 -, pois foram corrigidas inconsistências identificadas no banco de dados do Ministério da Saúde.

Vacinados em BH

Mais de dois milhões de belo-horizontinos já receberam ao menos a primeira dose de vacinas contra a Covid-19. Esse número corresponde a 82,4% dos moradores da capital. Em relação às duas aplicações, a cobertura vacinal está em 57,9% no município.

A partir de segunda-feira (25), os adolescentes com comorbidades ou deficiência permanente poderão completar o esquema vacinal contra a Covid-19. Na mesma data, também poderão comparecer aos locais de vacinação as adolescentes gestantes, puérperas e lactantes (veja aqui).

Durante a próxima semana, também serão convocados idosos de 69, 68 e 89 anos ou mais para a aplicação dose de reforço, além de demais faixas etárias que devem completar o esquema vacinal. 

Confira o calendário dos próximos dias: 

  • Quinta-feira (21): segunda dose para pessoas de 36 anos, cuja data do cartão de vacina esteja marcada para até 28 de outubro;
  • Sexta-feira (22): segunda dose para pessoas de 35 anos, cuja data do cartão de vacina esteja marcada para até 29 de outubro; 
  • Sábado (23): não haverá vacinação; 
  • Segunda-feira (25): – dose de reforço para idosos de 69 e 68 anos, cuja segunda dose tenha completado 6 meses ou que faltem até 15 dias para completar este prazo; segunda dose para adolescentes de 17 a 12 anos com comorbidades, deficiência permanente, gestantes, puérperas e lactantes.
  • Terça-feira (26): segunda dose para pessoas de 34 anos, cuja data do cartão de vacina esteja marcada para até 2 de novembro; 
  • Quarta-feira (27): segunda dose para pessoas de 31 anos, cuja data do cartão de vacina esteja marcada para até 3 de novembro; 
  • Quinta-feira (28): – repescagem de dose de reforço para idosos e trabalhadores da saúde já convocados, cuja segunda dose tenha completado 6 meses ou que faltem até 15 dias para completar este prazo; repescagem de dose adicional para pessoas com alto grau de imunossupressão já convocadas, cuja segunda dose tenha completado 28 dias;
  •  Sexta-feira (29): – dose de reforço para idosos de 89 anos e mais, cuja segunda dose tenha completado 6 meses ou que faltem até 15 dias para completar este prazo; segunda dose para pessoas de 30 anos, cuja data do cartão de vacina esteja marcada para até 5 de novembro;
  • Sábado (30): não haverá vacinação.
Edição: Giovanna Fávero
Larissa Reis
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários