Pesquisar
Close this search box.

Influencer grava vídeo andando de jet ski na Lagoa da Pampulha; prática é proibida em BH

Por

jet ski pampulha
Um influenciador digital publicou um vídeo, nesse domingo (17), em que aparece andando de jet ski em plena Lagoa da Pampulha (Reprodução/@eobraia/Instagram)

Um influenciador digital com mais de 280 mil seguidores no Instagram publicou um vídeo, nesse domingo (17), em que anda de jet ski em plena Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte. Conhecido como “É o Braia”, o jovem aparece fazendo manobras com o veículo aquático.

“Quando os pensamentos intrusivos falam mais alto”, escreveu ele na legenda da publicação. Em nota enviada ao BHAZ, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) informou que a prática é proibida.

“A Prefeitura de Belo Horizonte informa que a pesca na Lagoa da Pampulha é proibida, bem como esportes náuticos no local. A Lei 1.523, de 4 de setembro de 1968, dispõe sobre a Lagoa da Pampulha proibindo o uso para essas práticas”, informou o Executivo municipal.

A legislação mencionada pela administração municipal, sancionada pelo então prefeito de BH Luiz de Sousa Lima, determina que “fica expressamente proibido o uso das águas da represa existente na Pampulha, salvo autorização expressa da Prefeitura”.

A prática sem autorização pode acarretar multa aos praticantes, além da apreensão dos barcos. “A multa será em dobro, no caso de reincidência e dependerá sempre de autoassinado pelo Diretor do Departamento de Fiscalização e Posturas Municipais”.

‘Trato isso como um protesto’

Em contato com o BHAZ, o influenciador disse que não sabia que a prática era proibida. Ele conta que desde criança tem uma relação de afeto com o cartão postal de BH e que sempre ouvia histórias dos pais e avós de quando a Lagoa da Pampulha era utilizável.

“Diante de tudo isso foi alimentando a minha vontade de poder navegar lá, procurei saber, mas não achei nenhuma resolução recente sobre o assunto e também não vi nenhum tipo de placas falando que era proibido. Achei que ninguém fazia porque não tinha coragem”, disse ele.

Após a aventura, ele tomou um vermífugo, mas disse que não passou mal. “Não tive nenhum sintoma ou mal estar. E, de certa forma, trato isso como um protesto, para que as nossas autoridades possam tornar a lagoa um lugar limpo e utilizável”, declarou.

Larissa Reis

Graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog. Também participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ