Jornalista desaparecida em BH é encontrada morta na capital

natália
Natália estava desaparecida desde terça-feira (PCMG/Divulgação)

A jornalista Natália Araujo Souza, de 34 anos, desaparecida desde terça-feira (6), em Belo Horizonte, foi encontrada morta na manhã desta sexta-feira (8). Por volta das 10h, a Polícia Militar (PM) foi acionada para atender à ocorrência de um corpo avistado no Ribeirão Arrudas, no bairro Granja de Freitas, região Leste da capital. Como o local era de difícil acesso, os bombeiros atuaram no resgate.

Junto ao corpo, foram encontrados documentos de identificação. Segundo o registro policial, não foi possível verificar a causa da morte, que será investigada.

Natália havia sido vista pela última vez no bairro Sagrada Família, região Leste da capital mineira. A família dela procurou as autoridades nesta quinta-feira para registrar o desaparecimento. De acordo com a Polícia Civil de Minas Gerais, as investigações foram iniciadas prontamente.

Pessoas desaparecidas: o que fazer?

Se você está sem notícias de alguém do seu convívio, é possível registrar o desaparecimento na Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida, da Polícia Civil de Minas Gerais. Por lá, é necessário apresentar uma foto e documentação do ausente, caso existente, para início da busca.

Para comunicar o desaparecimento de alguém não é preciso esperar 24 horas. A orientação é procurar a delegacia de Polícia mais próxima e registrar um boletim de ocorrência assim que a ausência incomum da pessoa for percebida. Por exemplo, se a pessoa costuma chegar em um determinado horário e não apareceu e nem avisou sobre atraso, o boletim de ocorrência pode ser registrado.

Caso o desaparecido seja menor de idade, é necessária a apresentação da cópia da certidão de nascimento. No entanto, a ausência do documento não impede o registro e a busca.

Denúncias de desaparecimento também podem ser feitas por meio da Delegacia Virtual do Governo de Minas, disponível para computadores e celulares. Para realizar a ocorrência, é necessário que o desaparecimento tenha ocorrido em um prazo de até 30 dias.

Registros desta natureza também podem ser feitos por meio do aplicativo Sinesp Cidadão, do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Por lá, basta selecionar a opção “desaparecidos” e filtrar consulta por faixa etária, região, período de desaparecimento e nome do desaparecido clicando no ícone superior direito representado por três pontos e selecionar o “filtrar”.

Em caso de informações sobre uma pessoa que está sendo procurada pela família, basta entrar em contato com o número 0800-2828-197.

SIGA O BHAZ NO INSTAGRAM!

O BHAZ está com uma conta nova no Instagram.

Vem seguir a gente e saber tudo o que rola em BH!