Kalil critica ‘corrida política’ da vacina em SP e RJ e se diz satisfeito com a vacinação contra Covid em BH

Kalil
“Se eu não guardasse vacina, já estava vacinando até o cachorrinho”, disse o prefeito (FOTO ILUSTRATIVA: Amanda Dias/BHAZ)

O prefeito Alexandre Kalil (PSD) criticou, nesta quinta-feira (19), uma suposta “corrida política” da vacina em São Paulo e no Rio de Janeiro. O mandatário ainda disse que está satisfeito com a campanha de vacinação de Belo Horizonte. A declaração foi dada ao “Bom Dia Minas”, da TV Globo. Na mesma entrevista, o prefeito reprovou a aglomeração de torcedores no Mineirão e anunciou que vai dobrar o número de alunos nas salas de aula.

“Quando se aposta corrida, acontece como aconteceu no Rio e em São Paulo. São Paulo está na Justiça pedindo dose porque não tem para dar segunda dose, e o Rio está lá pedindo ao Ministério (da Saúde) e parando a vacinação por três, quatro dias porque não tem vacina, isso não é corrida política, não, isso é técnica e como fazer”, disse Kalil, ao ser questionado sobre a demora da prefeitura em divulgar um cronograma de vacinação de toda a população adulta da capital.

O prefeito ainda disse que já teria vacinado toda a população belo-horizontina caso não guardasse vacinas para a segunda dose. “Belo Horizonte não teve problema, teve na primeira semana, o resto é vir vacina. Se eu não guardasse vacina, já estava vacinando até o cachorrinho, mas nós temos responsabilidade, não vamos politizar a vacina, não vamos apostar corrida com ninguém”, complementou.

Apesar das críticas, o mandatário se disse satisfeito com a vacinação em BH. “Eu particularmente estou muito satisfeito com a vacinação em Belo Horizonte. Dentro do cronograma, era para acabar a primeira dose em setembro no Brasil inteiro, e Belo Horizonte vai acabar, com aplicação da segunda dose em setembro”, finalizou.

Edição: Vitor Fernandes

Comentários