Kalil determina mapeamento de áreas risco para minimizar danos das chuvas em BH

kalil chuva
Reunião abordou estratégia para evitar danos em pontos de risco (Amanda Dias/BHAZ + Adão de Souza/PBH)

Após a reunião com vários secretários na tarde desta terça-feira (19), o prefeito Alexandre Kalil (PSD) determinou que técnicos da PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) façam um “mapeamento minucioso” das áreas de maior risco na capital durante o período chuvoso. Além disso, a reunião estipulou ainda outras intervenções necessárias para minimizar os impactos da chuva em BH.

O levantamento de quais são as principais áreas de risco geológico deve servir de base sólida para que o Executivo municipal desenvolva um plano de ação capaz de evitar os danos causados pelas chuvas até o final deste ano, conforme afirmou a prefeitura. Além de secretários, a reunião contou também com a presença de coordenadores de regionais da capital.

“Para a chuva de amanhã, nós vamos continuar com o nosso plano que está vindo há um ano. A de depois de amanhã, também. Mas a que vem daqui a um mês ou 20 dias, nós temos que ter prontamente um plano robusto e organizado, como foi feito quando soubemos da chuva que vinha em 2019 e 2020”, argumentou o prefeito.

Kalil defendeu ainda que, graças à atuação do comitê que se reúne semanalmente para tratar o assunto, as autoridades conseguiram agir rápido durante as chuvas dessa segunda-feira (18), interditando vias com risco de enchente e retirando famílias de áreas de risco. “Quem se organizar melhor vai diminuir um pouco o sofrimento dessa população”, pontuou.

Outras medidas

O assunto foi discutido na tarde desta terça-feira, durante reunião com secretários e coordenadores de regionais, na sede do Centro Integrado de Operações de Belo Horizonte (COP-BH). Entre as medidas discutidas, maior efetivo para operação de tapa- buraco e mapeamento de áreas de risco geológico.

De acordo com a PBH, de janeiro a setembro deste ano, foram realizadas cerca de 50 obras em áreas de risco geológico em vilas e favelas da capital e mais de 150 famílias foram retiradas preventivamente. A ação, conforme reforça a administração municipal, se estende para além do período chuvoso.

Ações emergenciais

As chuvas dessa segunda-feira atingiram índices superiores ao esperado para todo o mês de outubro, em todas as nove regionais da cidade. Ao longo desta terça, Sudecap (Superintendência de Desenvolvimento da Capital) realizou vistorias nas áreas que foram afetadas por alagamentos, ações de limpeza em conjunto com a SLU (Superintendência de Limpeza Urbana) – limpeza das bocas de lobo, dos dispositivos de drenagem superficial (sarjetas) e desobstrução de redes de drenagem.

Além disso, equipes da SLU promoveram ações emergenciais de remoção de resíduos em todas as regiões da cidade, com destaque para a Centro-Sul e Oeste – as áreas mais impactadas. “Ficamos sempre em alerta, monitorando os avisos da Defesa Civil a respeito de riscos de temporais e, por isso, conseguimos nos programar e deslocar rapidamente as turmas até os pontos de atenção”, observa a chefe do Departamento de Serviços de Limpeza Urbana, Erika Santos Resende.

Com PBH

Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Editora do BHAZ desde julho de 2021 e repórter desde 2019. Graduada em jornalismo pela PUC Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2021, além de figurar entre os finalistas do prêmio Sebrae de Jornalismo também em 2021.

Comentários