Kalil parabeniza belo-horizontinos após capital se tornar referência nacional no combate à pandemia

prefeito alexandre kalil
Prefeito usou as redes sociais para parabenizar a população (Moisés Teodoro/BHAZ)

Belo Horizonte foi considerada como referência nacional no combate à pandemia do novo coronavírus. É o que diz o estudo da Imperial College de Londres. O prefeito Alexandre Kalil (PSD) parabenizou a população da capital mineira pelo feito conquistado em postagem nas redes sociais no começo da tarde desta sexta-feira (15).

O estudo avaliou 14 capitais brasileiras e apontou que mais de 328 mil mortes poderiam ter sido evitadas no Brasil, caso a condução da pandemia seguisse as medidas adotadas em Belo Horizonte.

A pesquisa considera a diferença na forma de condução da pandemia nas capitais do país, mas ressalta que, se o modelo da capital de Minas Gerais, tivesse sido adotado pelas demais cidades analisadas, o país teria uma redução de 56,55% de óbitos hospitalares.

“Extrapolando as menores taxas de mortalidade hospitalar observadas em Belo Horizonte para todo o Brasil, estimamos que, em 26 de julho de 2021, 328.294 [margem de erro de 313.200 a 343.794] mortes intra-hospitalares atribuíveis à Covid-19 do Brasil poderiam ter sido evitadas”, indica o estudo da Imperial College.

O Brasil, segundo o Painel Coronavírus, tem 602.099 mortes provocadas pela Covid-19. O país tem 21.612.237 casos confirmados, sendo que 20.758.597 pacientes se recuperaram.

Veja a relação das capitais que foram analisadas ao longo do estudo da Imperial College:

  • Amazonas – Manaus
  • Rondônia – Porto Velho
  • Goiás – Goiânia
  • Amapá – Macapá
  • Maranhão – São Luís
  • Rio Grande do Norte – Natal
  • Paraíba – João Pessoa
  • Bahia – Salvador
  • Rio de Janeiro – Rio de Janeiro
  • São Paulo – São Paulo
  • Paraná – Curitiba
  • Santa Catarina – Florianópolis
  • Rio Grande do Sul – Porto Alegre

Prefeito parabeniza

O resultado do estudo foi comemorado pelo prefeito Alexandre Kalil. “Parabéns população de Belo Horizonte. Somos a referência nacional da pandemia para o Imperial College de Londres. Se todas as 14 capitais do estudo tivessem a mesma taxa de mortalidade de BH, 328 mil mortes teriam sido evitadas”, escreveu o político.

Internautas repercutiram a postagem do chefe do Executivo municipal parabenizando a gestão do prefeito de BH. “Sua coragem em defender a vida será inesquecível” e “Muito obrigado por salvar vida belo-horizontinas quando essa preocupação não foi estadual, quiçá federal” foram alguns dos comentários.

Covid-19

Belo Horizonte tem 286.057 casos confirmados do novo coronavírus e 6.864 mortes. O número de pacientes recuperados chegou a 277.657 e os em acompanhamento a 1.536. Os dados são do Boletim Epidemiológico e Assistencial divulgado nessa quinta-feira (14).

Ainda conforme o levantamento, os indicadores de monitoramento da pandemia estão no nível verde na capital mineira. Veja como cada um deles está:

  • Número médio de transmissão por infectado (RT) – 0,89
  • Ocupação de leitos de UIT Covid-19 – 43,6%
  • Ocupação de leitos de enfermaria Covid-19 – 38,2%

A vacinação contra a Covid segue sendo realizada e a cidade já está com 82,2% de pessoas imunizadas com a primeira ou única dose. O esquema vacinal está completo para 56,1% dos vacinados. Confira os indicadores da vacinação:

  • Primeira dose – 2.077.809
  • Segunda dose – 1.399.427
  • Dose única – 59.641
  • Dose de reforço ou adicional – 73.729

O boletim pode ser lido aqui.

Edição: Giovanna Fávero
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas nos prêmios CDL (2018, 2019 e 2020), Sebrae (2021) e Claudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados (2021).

Comentários