Kalil se reúne com secretários para discutir plano de ação para o período chuvoso em BH

kalil
A reunião acontece na tarde de hoje (19) no Centro Integrado de Operações, localizado no bairro Buritis (Amanda Dias/BHAZ)

Após o temporal que assolou diversos pontos de Belo Horizonte durante a tarde e a noite de ontem (18), o prefeito Alexandre Kalil (PSD) se reúne com secretários para discutir que medidas serão tomadas durante o período chuvoso na capital. A conversa acontece na tarde de hoje (19) no Centro Integrado de Operações, localizado no bairro Buritis, região Oeste da capital.

Dentre os participantes da reunião, estão o secretário de Obras e Infraestrutura, Josué Valadão, o subsecretário de Proteção e Defesa Civil, Waldir Figueiredo Vieira, o diretor-presidente da Urbel, Claudius Vinícius Leite Pereira e os nove coordenadores das regionais da cidade.

Chuva em todas as regiões

As chuvas intensas se espalharam, desde o início da tarde dessa segunda-feira (18), por todas as regiões da capital. Segundo a Defesa Civil municipal, as regiões Nordeste, Norte, Noroeste, Leste e Venda Nova foram as mais castigadas pelas chuvas no fim da tarde (veja aqui).

Já no início da noite, o mapa que monitora a situação das chuvas na capital estava quase inteiramente coberto pelas cores laranja e vermelho – que indicam os maiores níveis de precipitação.

Um levantamento de acumulado de chuvas, em milímetros (mm), emitido pelo órgão às 23h de ontem, mostra que nas últimas 7 horas e 30 minutos choveu metade do esperado para todo o mês de outubro em BH. A região Leste é a que mais se destaca, já que chegou a chover mais do que o esperado para o mês inteiro. 

Temporal acumula estragos

Como já de costume, a chuva espalhou estragos pela capital e mobilizou o Corpo de Bombeiros, que precisou atender dezenas de ocorrências de pessoas e construções em risco em BH na região metropolitana. No município da região metropolitana, um morador pediu ajuda após ele e outras duas pessoas ficarem ilhados dentro de casa.

Já em BH, as ocorrências foram de vários tipos: desde um desabamento de barranco que destruiu parcialmente uma casa no bairro Taquaril, até uma queda de poste que bloqueou o trânsito no bairro Padre Eustáquio e um foco de inundação que assustou motoristas no Coração Eucarístico.

Em função das chuvas intensas, algumas vias da capital também precisaram ser interditadas com urgência pela BHTrans devido ao risco de transbordamento. Para evitar acidentes em função da elevação do córrego do Leitão, o cruzamento das vias Joaquim Murtinho e Av. Prudente de Moraes, na região Centro Sul, foi fechado.

Também foram interditadas as avenidas Tereza Cristina, no Barreiro, Heráclito Miranda, na Pampulha, e Rua Areia Branca, na região Nordeste.

Risco geológico

Ainda na tarde de ontem (18), a Defesa Civil emitiu um alerta de risco geológico válido até amanhã (20). O órgão recomenda que, até lá, os moradores se atentem “no grau de saturação do solo e nos sinais construtivos” de suas residências.

Veja os cuidados recomendados:

  • Coloque calha no telhado da sua casa.
  • Conserte vazamentos em reservatórios e caixas-d’água.
  • Não jogue lixo ou entulho na encosta.
  • Não despeje esgoto nos barrancos.
  • Não faça queimadas.

Alguns sinais que indicam a possibilidade de deslizamentos ainda podem ser observados pelos moradores:

  • Trinca nas paredes;
  • Água empoçando no quintal;
  • Portas e janelas emperrando;
  • Rachaduras no solo;
  • Água minando da base do barranco;
  • Inclinação de poste ou árvores.
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog.

Comentários