Menina de 13 anos é morta a tiros em lanchonete na Zona Norte de BH

assassinato xodo marise
Outra vítima, de 23 anos, foi atingida por um tiro de raspão nas costas, mas dispensou atendimento médico (Reprodução/Google Street View)

Uma adolescente de 13 anos foi assassinada com um tiro na cabeça na noite de ontem (20), em uma lanchonete localizada no bairro Xodó Marise, na região Norte de Belo Horizonte. Ela chegou a ser socorrida pelo pai, já inconsciente, e foi levada ao hospital Risoleta Neves, onde teve a morte encefálica confirmada.

Segundo a ocorrência policial, tudo começou depois que dois suspeitos, um de 16 e outro de 27 anos, chegaram de moto na porta do estabelecimento e começaram a atirar com uma arma de fogo. Outra vítima, de 23 anos, foi atingida um tiro de raspão nas costas, mas dispensou atendimento médico.

Testemunhas que estavam no local confirmaram que o adolescente, autor de seis disparos, é morador do bairro Jardim Felicidade, também na região Norte. Ele e o amigo já são conhecidos pelas guarnições policiais da região. Até o momento ninguém foi preso.

Richa entre bairros da regional Norte

Ainda segundo as testemunhas, o ataque pode ter sido uma resposta a uma briga que havia acontecido mais cedo, durante uma festa realizada na região. O evento contou com a presença tanto das vítimas, quanto dos suspeitos do homicídio. Na ocasião, dois moradores do bairro Jardim Felicidade foram agredidos a pauladas por moradores do Xodó Marise.

Uma equipe policial esteve na casa da mãe do adolescente, suspeito de efetuar os disparos na noite de ontem (20), mas ele não estava na residência. Os militares então se deslocaram até a casa da namorada dele, onde o adolescente também não se encontrava.

No celular da garota, no entanto, conversas recentes com o rapaz levantam suspeita sobre a autoria do crime. O aparelho foi apreendido e deve ser usado durante as investigações. Ao BHAZ, a Polícia Civil de Minas Gerais disse que a perícia e uma equipe de investigadores compareceram ao local para realizar os primeiros levantamentos.

“Até o momento, não houve prisão. Um inquérito foi instaurado para apurar a autoria, motivação e circunstâncias do fato. A investigação ficará a cargo do DHPP (Departamento Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa)”, informa a corporação, em nota.

Edição: Roberth Costa
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog.

Comentários