“Morre um teatro. Morre uma cena. Morremos nós”.

Belo Horizonte perde mais um teatro, o Klauss Vianna, que funcionava no Edifício Presidente Tancredo, na Avenida Afonso Pena. A decisão veio depois do parecer da Justiça Federal da desapropriação da empresa OI do edifício.

O imóvel será transferido ao TJMG, que decidiu, por unanimidade, fechar as portas do teatro. O Movimento Klauss Vianna, que lutava pela permanência da sala no edifício, declarou em uma carta: “Morre um teatro. Morre uma cena. Morremos nós”. Além disso, o movimento repudia a falta de diálogo do Presidente do TJMG, Pedro Bitencourt, e apresenta uma grande decepção em relação aos políticos que promovem a cultura na cidade pela falta de intervenção.

A Secretaria do Estado de Cultura enviou uma nota lamentando a decisão do TJ e ressaltou que a escolha é soberana.