‘Nuvem de poeira’ invade BH e pode causar danos à saúde

Névoa seca nuvem de poeira BH outono
BH começou o dia com uma “nuvem de poeira” no horizonte (Rafael D’Oliveira/Arquivo Pessoal)

Uma nuvem de poeira invadiu Belo Horizonte nesta sexta-feira (7) e chamou a atenção de vários moradores que precisaram sair de casa pela manhã. O fenômeno, conhecido como “névoa seca”, é comum no outono e no inverno, mas segundo Claudemir de Azevedo, meteorologista do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), a poeira pode causar danos à saúde.

“Isso se deve a esse período de outono, inverno, mais por questão de poluição do ar, porque a gente tem nesse período agora essa massa de ar seco predominando, o que favorece as partículas de poluição. Elas ficam em suspensão na atmosfera”, explica o meteorologista.

O ar mais seco favorece essa camada da poluição, que pode causar danos para saúde. “Tem risco para a saúde, o que chamamos de poluição atmosférica”, diz. A meteorologista Anet Fernandes, também do Inmet, complementa: “No outono e inverno, a qualidade do ar dá uma afetada mesmo, tanto que nessa época aumenta a gripe e moléstias de ordem respiratória”.

Nível crítico

Belo Horizonte registrou, hoje, altas temperaturas e baixa umidade no ar. Na Pampulha, foi computado um calor de quase 30ºC, ao mesmo tempo que uma umidade de apenas 23%, de acordo com o Inmet. No Cercadinho, na região Oeste da capital, um número ainda menor, de somente 21%. Com esses índices, a cidade chega a um nível de alerta.

“Abaixo de 30%, já considera um índice crítico”, explica Anet. De acordo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o índice adequado de umidade do ar deve ficar entre 50% e 80%. Quando está abaixo de 30%, os riscos à saúde aumentam, causando desconforto físico ou mesmo desencadeando doenças.

Além disso, como relatado, a baixa umidade agrava ainda mais os efeitos da poluição, já que a dispersão dos gases poluentes é dificultada. “Esse fenômeno é chamado de névoa seca. Quando você vê esse material particulado em suspensa, quer dizer que não tem vento, ele está parado ou fraco, então fica esse material”, esclarece.

Por pouco tempo

Em breve, contudo, a umidade vai subir e a qualidade do ar vai melhorar. “Amanhã vamos ter um avanço, pois tende a nublar. Com o aumento da nebulosidade, aumenta o índice [de umidade]”, conta a meteorologista.

Com isso, a “nuvem de poeira” não poderá mais ser vista no horizonte da cidade. “O vento vai aumentar de velocidade, então amanhã já não tem previsão dessa névoa seca, já vai dispersar essa camada de poluição”, explica Claudemir.

Para sábado (8), além da dispersão da névoa e o céu nublado, a previsão é que a umidade fique entre 40% e 80%, e a temperatura tenha uma leve queda, com máxima de 27ºC na capital.

 Reforce os cuidados

Confira abaixo as recomendações listadas pela Defesa Civil para os dias em que os índices da umidade do ar são mais críticos:⠀

  • Hidrate-se durante o dia;
  • Prefira alimentos leves e frescos, como saladas, frutas, carnes grelhadas;
  • Evite frituras
  • Durma em local arejado e umedecido por aparelhos umidificadores, ou ainda coloque uma bacia com água
  • Evite atividades físicas ao ar livre e exposição ao sol entre as 10h e as 17h
  • Evite banhos com água quente, para não potencializar o ressecamento da pele. Se necessário, use hidratante
  • Em caso de problemas respiratórios, procure um especialista
  • Em caso de incêndio em mata ou floresta, avise imediatamente ao Corpo de Bombeiros (193), Defesa Civil (199) ou Polícia Militar (190)
Edição: Giovanna Fávero

Comentários