Obras em adutora da Copasa devem ser concluídas na sexta-feira e rodízio tem data para acabar

Abastecimento de água
A cada três dias, uma das quatro regiões do plano de rodízio fica sem água (Henrique Coelho/BHAZ)

As obras emergenciais realizadas pela Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais) após o rompimento da adutora do sistema Serra Azul estão dentro do cronograma previsto, de acordo com a companhia. Com isso, a construção de adutora provisória deve ser concluída na sexta-feira (18).

O rodízio de abastecimento de água em Belo Horizonte e região metropolitana foi provocado pelas obras emergenciais. Com a conclusão delas, a previsão do fim do plano de racionamento é no domingo (20), conforme já havia sido estipulado pela companhia.

Segundo o superintendente de Produção de Água da companhia na região metropolitana, Mauro Diniz Carneiro, aproximadamente cem pessoas estão envolvidas direta ou indiretamente nas intervenções realizadas no local onde a adutora se rompeu, na travessia do rio Paraopeba.

“A obra está de acordo com o cronograma e está ocorrendo tudo dentro do programado e planejado”, afirma. Com o fim do rodízio da Copasa, o abastecimento de água deve ser normalizado em todas as regiões afetadas. 

Adutora provisória

A obra provisória consiste na construção de uma adutora de menor porte, paralela à que se rompeu no dia 1° de março, em Juatuba, na Grande BH. Essa adutora provisória vai possibilitar uma recuperação de abastecimento do sistema Serra Azul na ordem de 600 a 800 litros de água por segundo. 

Além disso, paralelamente às obras emergenciais para a retomada do abastecimento de água, a Copasa já iniciou os estudos para a construção da adutora definitiva. A previsão de conclusão é até o meio deste ano.

“A outra obra está em fase de projeto, também conforme o cronograma previsto pela empresa”, observa. Por se tratar de uma obra mais complexa, a Copasa afirma que a adutora definitiva requer estudos especializados de engenharia e projeto executivo.

Rodízio de abastecimento

Desde a última terça-feira (8), a Copasa implantou um rodízio em oito cidades da Grande BH: Belo Horizonte, Betim, Contagem, Santa Luzia, Vespasiano, Lagoa Santa, São José da Lapa e Ribeirão das Neves.

A cada três dias, uma das quatro regiões do plano de rodízio fica sem água. O abastecimento é interrompido às 22h e o retorno ocorre no mesmo horário do dia seguinte. A área afetada fica desabastecida por 24 horas. Confira aqui as datas e regiões afetadas.

Ao longo do rodízio da Copasa, vários moradores se queixaram de diversas situações em que o serviço foi interrompido fora do horário previsto ou até mesmo em bairros que não estavam na lista.

A companhia informa que essas e outras situações relacionadas ao abastecimento, esgotamento ou tarifação devem ser informadas diretamente por meio dos canais de relacionamento.

Os serviços são gratuitos e funcionam 24 horas por dia: site www.copasa.com.br; aplicativo Copasa Digital ou telefone 115. Há ainda o WhatsApp (31 9 9770-7000), que funciona das 8h às 16h, de segunda a sexta-feira, com exceção de feriados.  

Com Agência Minas

Edição: Roberth Costa
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagens premiadas pelo Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados, pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021.

Comentários